domingo, 19 de março de 2017

Segredo.19.10


11 comentários:

  1. Primeiro de tudo procura ajuda, ou a tua médica de família ou até mesmo um psiquiatra, fala sobre o que se passa contigo. Também andei assim, estou melhor, mas continuo com esse receio mas tento não fazer dele um monstro que me impeça de fazer as coisas. Na altura receitaram-me o Valdoxan e à primeira toma ao dormir fez milagres, depois o tempo fez o resto. Esta é a minha história. Mas procura ajuda, não deixes que isso te domine. Força.

    ResponderEliminar
  2. há medicação para isso...
    procura um bom médico...
    e podes, também, fazer meditação...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A medicação é boa para mascarar o sintoma e apenas para deixar a pessoa apta para realmente enfrentar o problema. Se não for feito nenhum tipo de intervenção psicológica (seja feita por um bom psiquiatra ou psicólogo) a pessoa apenas se torna dependente da medicação e não consegue livrar-se dela sem retornar ao problema.

      O que a autora descreve é o "medo do medo" ou seja, o que está na base de um ataque de pânico. E o que precisa de acontecer é uma intervenção onde ela percepcione por si mesma que o medo é irracional e pode ser ultrapassado.

      A meditação é apenas uma ferramenta auxiliar para chegar a esse ponto mas não faz, nem de longe nem de perto, o trabalho essencial.

      A parte boa é que as perturbações de ansiedade são aquelas onde as terapias têm uma maior taxa de sucesso mas o que ela precisa mesmo é de procurar um bom psicólogo ou psiquiatra (que não dê só medicação).

      Eliminar
    2. é pá, tu deves ganhar uma pipa de massa a dar "explicações"...

      Eliminar
  3. Sabes se houve alguma causa? Ou foi o culminar de um período conturbado? Eu estou a fazer estas questões, porque não percebo do assunto e gostava de saber mais sobre isso. Agradeço desde já caso pretenda responder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou a autora do segredo, mas os meus ataques de pânico acontecem do nada, não tive nenhum periodo mau, simplesmente apareceram e tenho em qualquer lado, num jantar com amigos, no metro, a ver uma montra...é aterrador.

      Eliminar
  4. Somos duas:/ Tenho 24 anos, comecei a ter ataques de ansiedade/pânico aos 22. Ainda hoje não consegui ultrapassar isto, apesar de já ter sido seguida por um neurologista e uma psiquiatra, não sei mais que fazer!! Está a limitar (e muito) a minha vida, ao ponto de deixar de concretizar certos sonhos por medo de ter um ataque.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, só falta fazeres o tratamento mais recomendado. Terapia cognitivo-comportamental. Procura um psicólogo.

      Eliminar
  5. Olá. Como filha de uma senhora que os tem com alguma frequência e tendo eu mesma alguns, mas raramente, sei que os ataques de pânico podem surgir do nada, sem motivo. Eu consigo controlar com repouso e respiração mas a minha mãe tem sempre um comprimido na mala, o Victan. É muito chato ter ataques de pânico.

    ResponderEliminar
  6. Procura um psicólogo.

    Força!

    ResponderEliminar
  7. Já passei por isso, sentir pânico do pânico.Tentei recorrer a um.psicólogo.que na altura me disse que iria demorar um ano até eu ver resultados. Encaminhou-me para um psiquiatra que me receitou medicação
    Assim que os sintomas de ansiedade acalmaram comecei a sentir-me melhor e hoje não tomo nada. Na altura receitaram-me alprazolam, victan e.um antidepressivo.

    ResponderEliminar