segunda-feira, 20 de março de 2017

Segredo.20.17




Nos últimos meses, o meu corpo começou a dar sinais de que a genética está a levar a melhor. Dores, inchaços, mudanças corporais que aconteceram à minha mãe, quando ela teve cancro.

A minha decisão? Ignorar.
Vivo com as dores, não falo delas. Passo fome para, pelo menos na minha cabeça, achar que já dei um passo para ficar mais magra. Continuo a sorrir ao plano de termos um@ filh@, a partir do próximo ano. Sou o mais funcional que consigo, sem assustar ninguém.
Aqui entre nós? Realmente, não me vejo a viver até ser velhinha.

26 comentários:

  1. Nem falo de viveres até seres velhinha... mas não gostavas de estar com o teu filho o mais que pudesses, e de boa saude? :)
    Vá lá, cuida-te! ;)

    ResponderEliminar
  2. Há muitas ideias tristes neste segredo...
    1. Estar doente
    2. Estar doente e negar que precisa de ajuda
    3. Estar doente e mesmo assim querer um filho
    4. Querer um filho por capricho ou como se fosse um boneco. Um filho precisa de um pai e de uma mãe que possam cuidar dele.
    5. O capricho de querer uma filha e não uma criança. Sempre temos preferência mas como escreve no segredo....
    6. Não se vê viver até velhinha, sem tratamento isso é uma certeza.
    7. Querer passarpor uma gravidez e parto estando muito doente, arriscando a vida da criança. Por capricho ou egoísmo

    Vá ver um médico e vá-se tratar e não cometa uma tal atrocidade que pode acabar com o sofrimento ou morte da sua criança. Desde já quanto mais espera menos tem chances de se curar. E cure-se para ter uma vida e uma criança normal. Isso até pode nem ser nada mas de não consultar um médico não saberá.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando se usa arroba (@) não se está a das ênfase do querer uma menina, mas sim um filho pela qual dos o sexo.
      É como aquela mania agora de escrever "filhXs" apenas para não usar a palavra no masculino para designar ambos os-sexos.

      Eliminar
    2. Este comentário é um tanto ou quanto agressivo... do início: não há qualquer certeza sobre se a autora estará ou não doente. E ela refere que mantém os planos de ter um filho no próximo ano porque se quer manter o mais funcional possível, não está grávida...

      Já agora, também não me parece que ela tenha dito que queria umA filhA. Interpreto aquele @ como sento filho ou filha.

      À autora: procura um médico e tira essas dúvidas todas. Na volta não é nada de grave e estás a sofrer sem motivo! Tudo de bom :)

      Eliminar
    3. Eu ao contrário do ernesto acho que o comentário diz precisamente o que a autora precisa de ouvir (tirando o pequeno lapso de interpretação).
      O que a autora é é cobarde. É incapaz de ver o que tem e incapaz de procurar um médico e que raio de mãe será esta? Mesmo que não tenha cancro e não morra que raio de exemplo dará a um possível filho? Que não se tratar é que é bom?Que ser magra é que é o ideal?! É muita infantilidade junta e muito egoismo.
      Quer tentar engravidar, quer fingir que está mais magra mas é incapaz de pensar na pessoa com quem está a planear ter filhos e nas implicações na vida da possível futura criança e na pessoa que supostamente ama só para fingir que está tudo bem??

      Sim, ela tem sérios problemas. Não sei se tem cancro ou alguma doença fisiológica mas psicologicamente não está bem de certeza absoluta.

      Eliminar
    4. Peço então desculpa por ter tido uma ma interpretação do @. Retiro essa parte. Mas o resto não...
      A autora MOSTRA sinais de que esta doente. Quando tem tantos sinais que a alertam por ter se calhar uma doença grave, é inadmissivel querer ter um filho nestas condições. Porque afinal mostra que pouco lhe importa se esta doente ou não, quer é ter o filho à força toda, pouco importa se coloca este em risco ou se vai o deixar orfão (ou doente para a vida pois o parto pode correr mal?).
      Não esta gravida, mas conta fazer de conta que não esta doente e ficar gravida, o que vem ao mesmo.

      é mas é importante que ela detecte o problema cedo, se o tiver, para poder curar o mal, antes que seja tarde de mais. E SE não estiver doente, que pelo menos retire a duvida da sua cabeça e ai sim pode ser mãe como quer... sem colocar em risco a vida da futura criança.

      Eliminar
    5. Daquilo que percebi do segredo não me parece que a autora vá mesmo engravidar, o que me parece é que ela finge para que aqueles que a rodeiam não percebam o que se passa.

      Eliminar
    6. Têm toda a razão. eu até ignorei a parte de querer ser magra e ter um filho para o ano que vem... comentei só a parte de se achar doente e nada fazer. Mas se se adicionar o resto não faz sentido algum. Quer ser magra mas quer engordar 15 kilos durante uma gravidez. E depois quer recuperar a silhueta que não considera ter após uma gravidez? Sem noção. Quer tudo isto, mas acha-se gravemente doente ao ponto de poder vir a morrer... e quer gerar um filho a quem pode transmitir o mesmo problema e, se calhar, matá-lo logo após o nascimento (se já vier doente) ou mesmo nem conseguir conduzir a gravidez até ao fim. Edepois a culpa é da doença... não da sua inércia. Além disso, quer um filho PARA O ANO, como se essas coisas fossem assim tão simples e pudesse escolher o dia no calendário. Esquece que tem de engravidar 9 meses antes e no entanto quer ser magra... Muito confuso. Parece a mente de uma adolescente.

      Eliminar
  3. Não ignore esses sinais procure ajuda

    ResponderEliminar
  4. Não imagino o que seja estar nessa posição. Há muito para lidar. Dores do passado. Medo do futuro.

    Espero que encontres coragem para assumir a verdade e dares a ti mesma o direito a seres feliz.

    Beijinho enorme (:

    ResponderEliminar
  5. Tudo bem, nao vais viver até seres velhinha, acontece a muitos.

    Mas e se fosses ao medico para teres a certeza se realmente estas doente ?
    e estando, não poderas tentar ao menos viver mais 20/30 anos ?

    A parte do tenta ser magra nao entendi.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque ser ou não magra é que é importante.

      Eliminar
    2. Mesmo....nao ha nada que tenha nexo neste segredo, coitadas das pessoas que sao proximas da autora (pobre marido, so espero que nao venha uma crianca inocente sofrer com esta falta de bom senso).

      Eliminar
  6. Sem lógica! Segredo confuso vindo de alguém mais confuso ainda!

    ResponderEliminar
  7. A medicina evolui e há muitas doenças que, quando detetadas precocemente, podem ter cura. Se não o fazes por ti, faz por aqueles que te amam.

    ResponderEliminar
  8. O sentido positivo ajuda em muito a qualidade de vida. As melhoras!

    ResponderEliminar
  9. Ignorar os sintomas não me parece nada prudente. Não se vê a viver velhinha mas continua a fazer planos para o futuro... E um filho é um plano a longo, longo prazo! Procure tratamento (a sério!), por si e pela sua família. Por medo ou inércia, não o queira fazer tarde demais...

    ResponderEliminar
  10. E ja pensaram que a autora pode saber o que tem? pode estar farta de medicos e hospitais? Meu deus, julgam tanto e sabem tao pouco.

    ResponderEliminar
  11. Clínica Dr. Manuel Pinto Coelho.

    ResponderEliminar
  12. O meu conselho e que se va consultar e fazer exames o quanto antes, mas nao se esqueca de passar pelo psicologo/psiquiatra que alguma coisa lhe esta a afectar o cerebro. Ja agora tem a certeza de se querer reproduzir?

    ResponderEliminar
  13. Eu sei que te devia dizer que estás errada, que devias tratar de ti mas.... eu entendo-te perfeitamente!!!

    ResponderEliminar
  14. Uma coisa e ser positiva, outra e ignorar sintomas! nao faca isso, por si e pelo seu filho. va ao medico!!

    ResponderEliminar
  15. E também podes estar só com prisão de ventre!!

    Entendes onde quero chegar?

    Compreendo-te porque também sou de guardar as coisas que me preocupam para mim. Mas sei que isso não me faz uma pessoa mais estoica nem correta. Tenho o exemplo de minha mãe que pensa que faz o mesmo mas está quase sempre a demonstrar preocupações excessivas com qualquer tipo de sintoma. Isso acaba por moer mais quem está por perto, porque as pessoas se apercebem.

    É muito melhor te abrires com alguém. Porque vais deixar de ser tu mesma, vais andar tensa, as pessoas notam a diferença de postura - ainda que penses que estás a ser a mesma. Começas a recusar ir a lugares, a ficar triste, deprimida, a ter até ataques de súbita impaciência. E as pessoas que tu pensas que estás a proteger por guardares tudo para ti é que vão sofrer.

    E depois tu não és médica. Viste sintomas na tua mãe e tanto os podes ter pelos mesmos motivos, como por outros. E ficas aí toda alarmada, com medo, sem viver, quando pode muito bem não ser nada demais e toda essa angústia e receio ter sido uma perda de tempo.

    nÃO desperdices tempo porque a vida é feita dele.
    Vai a médicos porque tu decerto não tens conhecimentos para fazer o teu próprio diagnostico.

    ResponderEliminar