terça-feira, 21 de março de 2017

Segredo.21.14


31 comentários:

  1. Claro que queres. Irá de certeza ser a tua maior fonte de felicidade.

    NM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tentei esforçar-me ao máximo para não responder a este comentario lol. Mas ok. Claro que quer! É a mesma coisa que ir comprar uma tablete de chocolate ao super! Tem a noçao da quantidade de variáveis que existem para não se querer um bebé ou tenho que as explicar? Por exemplo, se o pai tambem quer ou não. Se ha condições ou não. Profissionais, financeiras, de saúde, planos de vida, etc. Mas claro que quer! Claro, obvio, nem se poe em causa! Porra.

      Eliminar
    2. "Claro que quer"! A autora já teve quem decidisse por si!...
      (Faz bem em manter o segredo. Decida em paz e em consciência aquilo que é melhor para si. Só me resta desejar-lhe felicidades, seja qual for a sua decisão!)

      Eliminar
    3. A autora quer ou é você que quer?!
      Se é assim tão facil, porque não se chega à frente para ficar com ele? -.-

      Eliminar
    4. Credo! Ainda bem que há tanta leveza em fazer um aborto.
      Claro que quer é maneira de dizer, no sentido em que as vezes nem se tem noção que ter um bebé é muito mais fácil do que agora se anda a querer fazer acreditar.. E Be the way o comentário a cima não é meu. Filipa

      Eliminar
    5. Eu teria mais leveza em fazer um aborto do que em manter uma gravidez, pelo menos nesta fase da minha vida. Seria, literalmente, resolver uma situação indesejada. Não me sentiria culpada, na medida em que não considero que um embrião seja um bebé ou uma criança. Teria apenas receio pela minha saúde, uma vez que uma interrupção da gravidez pode ser violenta para o corpo da mulher.

      Eliminar
    6. É uma maneira de dizer o quê? -.- Ela/e sabe lá!

      Eliminar
    7. Anonimo das 19:11: o aborto é violento para a mulher? Só? Um embriao não é um bebé? Já viu algum aborto a ser feito? Não se sentiria culpa da? Credo. Detestaria conhece la.

      Eliminar
    8. Então acho melhor ficar em casa, porque a probabilidade de conhecer alguém com a mesma opinião é gigantesca.
      Você ia detestar conhecer um monte de gente xD

      Eliminar
    9. Sou a favor do aborto para determinadas situações, algumas já mencionadas aqui.. De qualquer forma, quero dizer que o aborto se tornou de tal forma banal, que são muitas as mulheres que o usam como contracetivo e isso eu sou contra. A autora do segredo não revela nenhuma variável condicionante para não ter o filho. Fiquei com a ideia, da forma que coloca a questão, que é por egoísmo que tem dúvidas. E um filho é uma dádiva do céu. Quantas mulheres não gostariam de puder engravidar??? Era bom que a autora dissesse mais alguma coisa.

      NM

      Eliminar
    10. Um filho é uma dádiva do céu para alguns, para outros é um fardo. Não é por uma mulher querer engravidar e não conseguir que outra tem que manter uma gravidez indesejada.

      Eliminar
    11. Então vamos todas abortar,porque da forma que está o país e a vida não há condições para parir e educar filhos. Isso só está ao alcance de uma pequena minoria. E se chegarem a nascer bebés damos para adopção. O que o egoísmo faz!!! Só pensam em si, mas tomar precauções para não engravidar, isso não. O prazer primeiro que o aborto já está legalizado. É só arranjar desculpas para o fazer.

      Eliminar
    12. Anónimo das 21:43, eu não abortaria por não ter condições, abortaria por não querer ser mãe. Felizmente isso só a mim me diz respeito, quer o anónimo concorde ou não.

      Eliminar
  2. Então decide-te porque caso não queiras acho que a pessoa só tem até à 11a semana para abortar.
    Mas pensa bem no que queres. Ter um filho não é algo que se deva ter de ânimo leve, mas desfazer-se de um também não.

    ResponderEliminar
  3. Eu tive três filhos,fiquei gravida do terceiro,(a trabalhar)não o fiz porque considero uma vida perdida,não lhe dava o direito de viver,hoje é o melhor dos três muito nosso amigo e pronto para tudo,tudo se cria,afinal foi mais uma organização e mais trabalho e não estamos arrependidos,amo-o como os outros,dava a vida por qualquer deles.

    ResponderEliminar
  4. Seja qual for a decisão é para toda a vida. Se ficar com o bebé vai ter todos os problemas, dores de cabeça, alegrias e aventuras de ser mãe. Se abortar vai viver sempre com essa decisão, e se...
    Não sou contra o aborto, mas acho que deve acontecer em último caso. E falo por experiência própria. Não nestas circunstâncias, mas devido a ser portador de uma síndrome. Chamaram-me corajosa por querer ter a minha filha. Sempre achei que teria de ter muito mais coragem para viver com a lembrança, penso que todos os dias me ia questionar de como seria a minha filha, de que gostaria, seria loura ou morena???
    Desejo muita força e serenidade a quem enfrenta este tipo de decisão.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não acha que o facto da mulher (não falo da autora do segredo) não querer ter o filho seja razão suficiente? Que gente é esta que quer ver pessoas presas a vidas que não escolheram, com filhos que vêem como uma prisão... não entendo.

      Eliminar
  5. As pessoas pensam demasiado e fazem demasiadas contas para "encontrar" o momento ideal. Acho que isso não existe.. conheço pessoas que esperaram tanto pelo momento perfeito e quando acharam que era chegado esse tempo, a vida tirou-lhes o tapete! Eu tenho três filhos. Engravidei em dois momentos complicados da minha vida, em que algumas pessoas à minga volta achavam que no meu lugar abortariam. Não o fiz, nem sequer equacionei essa possibilidade. Nunca me arrependi! Mais do que isso, foi nos meus filhos que encontrei a força para dar a volta às situações!!! Foi a presença deles na minha vida que não me deixou desabar... continua a ser!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas a anónima, provavelmente, queria ser mãe apesar de não ser o momento certo. Não sabemos se a autora quer tem esse desejo.

      Eliminar
  6. Eu engravidei numa época em que me tirou o tapete dos pés, em que equacionei tudo e mais alguma coisa mas senti um alivio enorme quando descobri que estava grávida de 14 semanas. Era impossível abortar e eu percebi quando soube isso o que realmente queria. Eu estava a ser instigada pelo medo de tudo, dos outros, da sociedade, etc a pensar no aborto.
    Tive uma gravidez de alto risco porque tinha perdas de sangue imensas (que andava a confundir com menstruação) mas ainda hoje dou graças por isso me ter acontecido pois se eu tivesse sabido antes provavelmente teria abortado. E eu sei que me teria arrependido porque no fundo eu sabia o que queria. E se a minha gravidez não foi muito boa o parto, pós-parto e a vida com o meu filho é a melhor fase de sempre de toda a minha vida. Isso aconteceu-me há quase 9 anos atrás, o meu filho está a poucos meses de fazer 8 anos.

    Não te vou dizer o que fazer mas para pensares em ti, nas tuas condicionantes, no que tu queres ou não queres. Esquece os outros, esquece a sociedade, esquece os medos. Intimamente creio que tu sabes a resposta ao que queres mesmo fazer. Podes ter medo de optar mas acredito que saibas mesmo o que queres.
    Seja qual for a decisão, pode não ser fácil tomá-la ou lidares com ela no futuro, por isso, toma a decisão por ti. Seja qual for a decisão que tu tomes, se o fizeres por ti e por aquilo que realmente queres e desejas acredito que tomes a decisão que será a melhor para ti.
    E não é pelo facto de para mim a melhor decisão ter sido ter o meu filho que signifique que o mesmo se aplique a ti. Pode ser precisamente o oposto.
    Faz é uma escolha por ti, a pensar em ti e no bebé/feto que tens na tua barriga. Se precisares de apoio, os hospitais têm as consultas de psicologia específicas para isso onde te podem ajudar a pensar sobre a tua decisão sem a pressão dos outros e sem te culparem ou julgarem.

    ResponderEliminar
  7. Mais um caso em que os métodos contraceptivos falharam?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não me parece que isso seja, neste momento, relevante. Eu (ainda) não fiz uma IVG, mas já tomei a pílula do dia seguinte duas vezes, a primeira porque o preservativo rebentou, a segunda porque no momento resolvemos arriscar mas depois fizemos as contas à altura do mês e vimos que seria perigoso. O aborto não deve ser método contraceptivo, é uma violência para o corpo da mulher, mas havendo gravidez e sendo indesejada não é útil a ninguém atribuir culpas, mas sim resolver a situação.

      Eliminar
    2. Anónimo22 de março de 2017 às 15:40
      Respeito a sua maneira de pensar e cada um faz o que quer.
      Contudo, como diz no seu comentário....num dos casos decidiu arriscar sem consultar a altura do mês em que está fértil. É por isso que digo que grande parte das gravidezes são arriscansos.
      Por isso digo, no sexo não se deve arriscar, devemos prevenir. Se todos pensassem assim, haveriam muitos menos casos destes :)

      Eliminar
    3. Diga-nos uma coisa que ninguem saiba -.-

      Eliminar
  8. e estás a pensar em matar o teu filho? queres ficar com as mãos manchadas se sangue igual a uma qualquer feminista?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahahaha...top! Veja lá não se masturbe, olhe que os espermatozóides também são seus filhos.

      Eliminar
  9. Seja qual for a tua decisão, esquece o que os outros pensam ou dizem. Pensa bem, pondera bem, e toma a decisão que, para ti, for a mais correcta. Não é uma decisão fácil, mas vais saber o que fazer. Força!

    ResponderEliminar
  10. Penso que, entre fazer um aborto consciente ou ter um filho sem a devida consciência do que isso representa, é preferível fazer o primeiro. A autora faz bem de guardar para si e decidir com calma algo tão importante. Não te deixes pressionar pelo que te dizem ser certo ou errado. O importante é tomares a melhor decisão para ti e para a criança, seja isso prosseguir com a gravidez ou optar por interrompê-la. Já há muita criança no mundo que veio cá parar por inconsciência de quem as fez nascer, não é preciso. Paga a criança e pagam todos à volta. Toma a tua decisão de forma consciente, isso é o mais importante.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Um dos poucos comentários decentes.

      Eliminar
    2. Concordo plenamente com o seu comentário.
      Sempre quis ser Mãe, sempre gostei e tive "jeito" para crianças, mas a realidade de ter um filho é completamente diferente de tomar conta dos filhos dos outros. Muitas pessoas decidem ter os filhos mas não têm consciência da responsabilidade e compromisso que isso acarreta... Não sou nem a favor nem contra o aborto, cada um sabe da sua vida e de si, mas vejo realidades muito tristes à minha volta... que por vezes me fazem duvidar se aquela(s) pessoa(s) deveriam ter sido mãe ou pai... Ter um filho para depois ser maltratado e/ou negligenciado, não vale a pena.
      Um Filho NÃO é um brinquedo!!!

      Eliminar
  11. Esse filho é sangue do teu sangue!! Já existe e vive! Tem o direito de nascer e de ser amado por ti! E se tu estás na dúvida de tê-lo ou não é porque bem lá no fundo o queres!! Ele já está vivo dentro de ti! Aceita-o! Ama-o! És capaz! Muita força e coragem!!

    ResponderEliminar