sábado, 25 de março de 2017

Segredo.25.10


17 comentários:

  1. Só vivemos esta vida uma única vez. Valerá mesmo a pena hipotecar a nossa liberdade e felicidade?

    ResponderEliminar
  2. Que lindo! Comove me ver a felicidade alheia!

    ResponderEliminar
  3. Falo por mim porque sei o que é isso.
    Prefiro contar o dinheiro para que chegue até ao final do mês do que viver de "fachada". Viva a liberdade!

    ResponderEliminar
  4. e foi o "casamento" que criou essa "estabilidade"?

    ResponderEliminar
  5. Vocês e uma grande percentagem do mundo... infelizmente ter estabilidade financeira passou a ser mais importante do q ser feliz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão bom falar quando o problema não é nosso. Como que ao sair de casa e ficar sem nada fosse felicidade garantida.

      Eliminar
    2. Passando a fase em que há dúvidas quanto à relação, acho que não seria capaz de me manter numa relação pela estabilidade financeira - sentir-me-ia uma prostituta (e não em agrada).

      Eliminar
  6. Ao chegar a esse ponto dentro de casa, o mais certo cada um dorme em camas separadas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É o que não falta por aí. Conheço pelo menos dois casos em que não têm dinheiro para outras casas e por isso partilham a mesma, estando cada um no seu quarto, com vidas independentes...
      E estes é os que se sabe fora os outros que não assumem esta realidade...

      Eliminar
  7. Nós só temos uma vida. Vale a pena desperdiçar isso por estabilidade financeira? E ser feliz?

    Eu acho que me arrependeria se perdesse um único dia ao lado de quem não gosto.

    ResponderEliminar
  8. Por acaso gostaria de saber se este segredo é de uma mulher ou de um homem...

    ResponderEliminar
  9. Já passei por um divórcio e por uma separação. Sei o que é ver um projecto de vida chegar ao fim, enterrarem-se sonhos, repensar-se toda a vida, porque o que achávamos que ia resultar não resultou, seja por que razões for. Em ambas as situações, felizmente, não houve grandes guerras por causa de bens. A minha atitude, num caso e no outro, foi igual: leva o que quiseres, eu fico com o que não quiseres. Não o fiz porque sou parvo, porque não quero saber ou porque não dou valor às coisas materiais. Gosto das minhas coisas, muitas delas compradas com o meu dinheiro, mas isso parece-me o menos importante quando todo um projecto de vida chega ao fim, quando há duas pessoas destruídas por uma separação, quando há sentimentos que se perdem, quando se perde a luz, muitas vezes a força, a confiança. Há demasiadas sensações interiores muito mais fortes que nos devem impedir de pensar no dinheiro, nas televisões, na porcaria da estante da sala do IKEA ou no faqueiro oferecido pela tia no casamento.ma vez mais, acho, sobretudo, que quando os tais sonhos acabam, quando se dá a separação, quando se assina o divórcio, o mais importante são as pessoas. Pena, que muitas vezes, as primeiras a esquecerem-se disso sejam as próprias pessoas. Haja saúde para trabalhar e ganhar dinheirinho e a nossa felicidade.

    NM

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Escreveu a maturidade... pessoalmente gostei de a ler

      Eliminar
    2. 'o mais importante são as pessoas' concordo!

      Eliminar
  10. Se é essa a vida que querem, ninguém tem o direito de vos julgar. Mas a nossa vida é SEMPRE resultado das nossas escolhas! Há que aceitar as consequências

    ResponderEliminar
  11. Mais cedo ou mais tarde acaba por acontecer.

    ResponderEliminar
  12. Olho para este segredo como um desabafo desesperado e não como uma manifestação de comodismo.

    Custa-me a crer que alguém prolongue uma relação em que não é feliz, puramente por comodismo. Acredito que seja mesmo por não terem outra hipótese. Mas há sempre outra hipótese, por mais que custe.

    Eu sei que, hoje em dia, com os salários miseráveis que se ganham e o preço do custo de vida, não é fácil sustentar uma casa sozinho/a, mas é possível. Claro que isso pode implicar baixar o nível de vida. Mas vale tão a pena!

    Força e coragem para ultrapassar isso!

    ResponderEliminar