segunda-feira, 29 de maio de 2017

Segredo.29.17


18 comentários:

  1. Sei exatamente o que é isso. Comigo acontece a mesma coisa, eu tento melhorar mas é impossível

    ResponderEliminar
  2. Sou igual. Bastante insegura e anti-social. A mim ajuda muito esquecer que os outros existem. Lembrar-me que quase ninguém repara realmente em nós. Também sou muito "awkward" a relacionar-me com os outros, mas tento gozar comigo própria primeiro, isso ajuda a que não me sinta tão gozada. Até porque muitas vezes as pessoas não estão a gozar realmente, estão só a achar piada. Ser "diferente" tem dessas coisas :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fui assim durante tantos anos...
      Um dia percebi que afinal as pessoas sabiam o meu nome...
      Acho que o facebook ajudou muito nisso, descobri ex-amigos e ex-colegas... hoje são presença real na minha vida e ajudaram-me a superar isso.
      VB

      Eliminar
  3. Compreendo que seja difícil mas essa pressão complica imenso as relações, profissionais ou pessoais, e causa uma pressão em ti desnecessária. Trabalha as tuas inseguranças, pede ajuda de um profissional de psicologia. Entende o que sentes e porque sentes.

    Mereces mais que essa angústia.
    Eu já a vivi mas estou a ultrapassar. Custa bastante mas já vejo muitos resultados e, digo-te, não vale mesmo a pena viver nesse sufoco. Sou muito mais livre e feliz por confiar em mim.

    Alguém que foi muito importante para mim também encaixa neste perfil e custa muito ver alguém tão especial e com tanto potencial não conseguir estar bem e concretizar tudo o que tem a dar por insegurança.

    Tu mereces mais. Arrisca :)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. O ser humano só fica inseguro quando está perante algo que não conhece. Assim, em vez de se esconder na sua carapaça (que nem um cagado) porque não tenta conhecer o mundo à sua volta? Vai ver como é fácil e nem tem que falar muito. Se ouvir o que eles tem para lhe dizer, você será forçosamente obrigado a conhecê-los! E quanto mais conhecer, mais seguro se sentirá. Para além disso saiba que as pessoas só valem pela importância que nós lhe damos, logo, se ficar inseguro perante os outros é porque dá-lhes mais valor a eles do que a si próprio. Aprenda a valorizar-se. Se não o fizer, mais ninguém o fará.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também concordo, que quanto mais se ouve e se vê mais confiantes ficamos em nós.. ja fui assim...
      HOje sei que eu afinal sou muito melhor que outros que andam por aí a vangloriar-se que são bons, mas não são !
      Força, continuar a tentar ser diferente, nao desistas

      Eliminar
  5. Ansiedade social tem tratamento procurem um psicólogo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Os amigos, se os tivermos, serão essenciais, talvez, mais que o psicologo.

      Eliminar
    2. A sério que disse isso?
      Minha nossa

      Eliminar
  6. Se sabes onde reside o problema, tentar trabalhar nele. Pode ser que consigas melhorar um pouco. Arrisca.

    ResponderEliminar
  7. Entendo perfeitamente o que o autor do segredo está a passar. No meu foi uma questão de educação. Tive o azar em ter uma família que critica demais, opina demais e protege demais e depois admiram-se que seja uma pessoa insegura e incapaz. Neste momento, tenho mais de trinta anos e tenho bastantes dificuldades em lidar com as pessoas e a má atitude delas não ajuda o que me fez desistir de tentar. Só me dou com pessoas por obrigação.Tenho algumas pessoas da minha família que falam para mim como se fosse uma atrasada mental(a minha avó é a pior). O cúmulo é que nem dão tempo para falar e já estão com coisas e fazem tudo para ficar mal vista seja onde for. Felizmente, tenho outros elementos que me defendem chamando-lhes a atenção. Ao longo da minha vida estive em muitas situações do 'presa por ter cão presa por não ter'. Exemplos: se não falo é porque sou mal educada,se falo devia estar calada. Já aconteceu mais que uma vez cumprimentar alguém da minha família e sem ter tempo de falar já estava a minha avó com coisas por não ter feito perguntas do género 'está tudo bem?' e calar-se por causa da intervenção da minha mãe. Infelizmente, devido à minha maneira de ser muito calada e fechada num mundo só meu tornei-me num alvo fácil para pessoas estúpidas, cínicas e arrogantes. Se tivesse de contar todas as vezes que levei bronca devido a más interpretações tinha escrito pelo menos três enciclopédias. No meu trabalho, faço atendimento ao público e todos os dias tenho de lidar com certas personagens que nunca deviam ter nascido. Quando comecei, levei muito tempo a dar-me com os meus colegas porque estava à espera de um ambiente hostil. A maioria até é simpática mas estou sempre de pé atrás. Quanto ao autor do segredo, tente falar com um profissional, com alguém de confiança e o importante é não desistir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A frase 'No meu trabalho, faço atendimento ao público e todos os dias tenho de lidar com certas personagens que nunca deviam ter nascido' diz muito mais de si do que dessas pessoas. E do motivo desse isolamento. Não julgue, não critique.

      Eliminar
    2. Oh anonimo das 10:20, por acaso ja trabalhou no atendimento ao publico?

      Eliminar
    3. Oh anónimo (a sério que disse isto?) das 16,47 por acaso já... E não acho propriamente que a frase usada seja justificável. De todo...

      Eliminar
    4. Anónimo das 17:25,

      Pois eu também já trabalhei no atendimento ao público e acho que, em Portugal, a frase usada é justificável de todo. As pessoas julgam que só estão a ser verdadeiramente mal educadas quando tratam os outros por "filha da mãe dele", "vai-te cozer", etc. O que eles não sabem (ou não querem aceitar) é que seja na forma como falamos, o tom que utilizamos e a maneira como agimos também são reveladoras muitas vezes de uma má educação. Queremos ser europeus mas gostamos de nos portar como índios. Mas para o anónimo das 18:49 também tenho uma coisa a dizer. É notório que você também é pouco tolerante e esforça-se muito pouco para compreender o mundo à sua volta. Achei-a uma pessoa convencida que prefere isolar-se e dar ao desprezo do que aceitar o direito à diferença e fazer valer os seus argumentos. É uma pessoa que gosta de arranjar desculpas para não ter que lutar. Quando aparece uma situação em que existe problemas entre o anónimo e a mãe, o anónimo e a avó, o anónimo e os colegas de trabalho, o anónimo e os clientes do "atendimento ao público", o mais natural que possa estar a acontecer...é o problema ser o "anónimo".

      Eliminar
  8. "Before you judge youself make sure you´re not surrounded by assh*les"
    Será que é mesmo assim? Será que não são as pessoas à volta que estão erradas. No meu trabalho a minha chefe e restantes colegas de trabalho já me apelidaram de "estranha". "anti-social", etc, etc. Se eu me baseasse nessa opinião, tinha a minha auto-estima de rastos, mas prefiro mil vezes ser como sou do que cínica, hipócrita e mesquinha como elas.
    Analisa bem a situação.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pode não querer basear-se nas opiniões dos outros e a sua auto-estima pode não sofrer nenhum abalo mas isso não quer dizer que não seja de facto estranha ou anti-social...
      Se aqueles que lhe chamaram isso souberam argumentar condignamente, então a única coisa que você saberá fazer...é usar os argumentos do cinismo, da hipocrisia e da mesquinhice para esconder o seu estado de negação.

      Eliminar