terça-feira, 6 de junho de 2017

Segredo.06.10


44 comentários:

  1. Às vezes não é fácil para quem tem vícios, neste caso o tabaco.
    Tenta conversar com ela, pela saúde dela e do bebé. Pela saúde do (vosso) ambiente.

    ResponderEliminar
  2. Certo... E quando a conheceste ela fumava ou não? É que, por vezes, conhecemos as pessoas, achamos que elas devem mudar para corresponder ao nosso ideal e isso só serve para criar desilusões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é corresponder a ideal nenhum, é para a saude e bem estar da criança duh!

      Eliminar
  3. Percebo-te. Mas tens de falar com ela, tentar perceber os motivos dela e, eventualmente, até ajudá-la a deixar (se for essa a vontade dela).

    ResponderEliminar
  4. Uma coisa é não conseguir deixar, outra é não tentar. Varia de pessoa para pessoa a capacidade de deixar este vicio, que mata devagarinho, mas ela precisa de ajuda e a maior ajuda poderia ser o facto de ter acabado de dar à luz. Eu deixei, porque aprendi como mau exemplo de meu pai, morreu prematuramente, porque fumava.

    NM

    ResponderEliminar
  5. mais uma relação com tudo para dar certo...
    e o ódio é tão bonito...
    e o anti-tabagismo serve para camuflar outras coisas...

    ResponderEliminar
  6. Também não porquê se já conhecia assim,a vida é dela!

    ResponderEliminar
  7. Uma coisa é não gostares que ela fume (tal como não gostas que ela deixe as meias no tapete antes de as neter no cesto da roupa) outra coisa é odiá-la por isso. Há aqui várias questões: ela fuma ao lado do miúdo? Ela coloca em perigo a saúde do miúdo? Se assim for, dá para perceber o teu sentimento ainda que a palavra ódio possa ser demasiado forte (mas tu lá sabes as tuas razões).
    Se ela não coloca o filho em risco, não vejo o problema. Mais uma vez: podes nao gostar, mas isso nao significa que ela tem de deixar de fazer uma coisa que gosta ( se ela realmente não quiser parar). Não é por ter sido mãe que a mulher tem de se anular. Se ela gosta, gosta e pronto. E não, não sou fumadora, não acho que o tabaco faça bem e por mim ninguém fumava mas a verdade é que cada um tem a sua liberdade.
    Devias ter uma grande conversa com ela, mas nunca impondo a tua vontade, só porque é tua.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque é o facto de fumar que faz desta mãe mulher?
      Que redutor............
      Quando se é mãe, deixa-se de lado os maus habitos e ainda por cima nocivos pelos filhos! Se a prioridade desta mãe é o tabaco em vez do filho, então mais valia não ser mãe.
      A vontade dele é mais do que valida e justa.
      Quer dizer, o teu filho amanhã começa a fumar ou andar na droga ou embebedar-se todos os dias, e tu vais dizer-lhe "Muito bem filho, tu não deixas de ser homem/rapaz so porque és meu filho, não tens que te anular e a tua liberdade é extremamente importante!"
      Ah, mas que linda hipocrisia...
      Ainda por cima, a presença de tabaco é sempre nociva para a criança, mesmo que ela não aspire directamente o fumo. Esta provado cientificamente que até as particulas que ficam nos objectos/roupas/movéis/chão/tapete/parede, etc são extremamente nocivas para as crianças! Podem até ser mais prejudiciais do que o proprio fumo pois ficam semanas ou meses nessas superficies e que podem sofrer mutações ainda mais nocivas.

      Mas pronto, deixem la, tem é que se habituar não é???? Que se dane a criança/bébé.

      Eliminar
    2. Depois de um gigante facepalm, nem me vou dar ao trabalho de tecer mais palavras perante semelhante comentário estapafúrdio. Eu disse o que queria dizer e claramente você leu coisas que eu não escrevi. Vocês é que sabe o que quer ler.
      Ah e já agora, redutor é dizer que uma mulher se deve anular por ter um filho. Se você o fez e se arrepende não faz de si melhor mãe. Nem estou a falar de fumar porque sabemos o quanto isso faz mal, mas a sua postura perante um comentário como o meu revela muita coisa.

      anon 11:49

      Eliminar
    3. Cara anónima das 14:50
      Fumar faz mal? Faz. Mata? Sim. Devemos deixar? Devemos. Mas não é com ódio e chantagens que lá vamos.


      "Quer dizer, o teu filho amanhã começa a fumar ou andar na droga ou embebedar-se todos os dias, e tu vais dizer-lhe "Muito bem filho, tu não deixas de ser homem/rapaz so porque és meu filho, não tens que te anular e a tua liberdade é extremamente importante!"
      Ah, mas que linda hipocrisia..."

      Primeiro este seu parágrafo não fez sentido nenhum. Zero. A liberdade do seu filho não é importante, é isso que está a dizer??
      Bela mãe que me saiu. Não vi aqui hipocrisia nenhuma. O seu filho não tem o direito de fumar se quiser? Tem. Se você se pode preocupar, aconselhar e ajudar? Pode e deve. Prejudica alguém, só por fumar? Não. Já drogas (presumindo que a senhora pensou logo num viciado em heroína) é uma história completamente diferente porque não o prejudica só a ele. Vamos ter calma e não misturar coisas!)

      Não, não nos devemos anular só porque temos filhos. É pior para a criança e é pior para a mãe, e para o ambiente familiar em geral. (o mesmo para o pai) Você sabe o que é ter um vício? Claramente não sabe, porque fala de boca cheia. Deixar de fumar causa muitas reacções no corpo. Ninguém aqui está a comprar o fumar com fazer exercício, minha senhora, mas todos sabemos que somos adultos e que podemos fazer coisas que gostamos, ou não? E se ela gosta de fumar, pode fumar caraças, desde que tome as devidas precauções.
      Não vamos ser mais papistas que o papa, porque se você está preocupada com as particulas de fumo que ficam na roupa, mais vale nao tirar o seu menino de casa porque o ar está cheio de fumo de carros, fábricas, etc etc.

      Ah e já agora, um conselho para a vida: comece por TENTAR calçar os sapatos dos outros antes de destilar ódio por aí. Você por acaso sabe a "rotina" de fumo da senhora? Conheço muita gente com filhos que fuma sempre fora de casa, por exemplo, portanto lá se vai a sua teoria de que fica fumo nos móveis. Você não sabe nada, apenas que ela fuma. Tanto pode ser 1 cigarro como 30, você não sabe. Por isso, vamos ter calma nos julgamentos. De perfeita, já deu para ver, a senhora também não tem nada. E ser uma mãe tão fundamentalista também tem vários problemas.

      Eliminar
    4. "Porque é o facto de fumar que faz desta mãe mulher?"

      *facepalm*... Eu não li isto.

      Eliminar
    5. é, suponho que a senhora fuma nua na rua e depois vai ao banho antes de voltar para o filho. Mas é melhor fingir que esta tudo bem, que é tudo tretas os estudos que apontam para o risco. Quando não convém, é treta.
      esta é mais que visto que isto anda tudo danado porque fuma às toneladas e não é capaz de assumir o que quer que seja.
      Comparar o facto de o ar estar poluido com o facto de JUNTAR ainda mais o tabaco da propria mãe, ai que isto anda mesmo lindo.... quer dizer, o ar anda poluido, então vamos ainda piorar a situação não é? Não faz mal nenhum... sobretudo que um é responsabilidade da mãe unicamente e o outro é simplesmente uma consequência da civilização. Comparação ultra inteligente.
      A liberdade do filho é importante, não é por isso que o vou deixar fazer tudo o que quiser, senão ai sim é que seria uma mãe que não serve de nada. Se a minha liberdade significa destruir a saude do meu filho, mesmo que parcialmente, não obrigada, dou-lhe a minha liberdade se quiser.
      E dizer que nunca tive vicios... tive, e quando quis sair, sai! Ja viu? Funciona. Mas isso deve ser muito complicadinho para certas pessoas que não têm vontade nenhuma....
      Quando leio que deixar de fumar para preservar a saude dum filho é deixar de ser mulher e perder a sua liberdade... haja paciência. Se têm medo de perder a liberdade, nem tenham filhos, porque deixar de fumar seria a menor das liberdades perdidas.

      O meu comentario a unica coisa que revela é que faz-me docemente rir pessoas que não têm empatia nenhuma pelos filhos que têm.

      Eliminar
    6. "Quando se é mãe, deixa-se de lado os maus habitos e ainda por cima nocivos pelos filhos! Se a prioridade desta mãe é o tabaco em vez do filho, então mais valia não ser mãe."

      Meu deus do céu, onde já vamos. Só por uma mulher fumar já é péssima mãe e tem como prioridade o tabaco.
      Diga-me então: não usa perfume? Sabe que os perfumes têm muuiiiitos químicos...

      Eliminar
    7. "Quando leio que deixar de fumar para preservar a saude dum filho é deixar de ser mulher e perder a sua liberdade... haja paciência."

      Há pessoas mesmo mal resolvidas. Ninguém disse isto minha senhora.

      Eliminar
    8. Que grande salgalhada que aqui vai. Realmente o melhor do shiu são os comentários tacanhos.

      "é, suponho que a senhora fuma nua na rua e depois vai ao banho antes de voltar para o filho. Mas é melhor fingir que esta tudo bem, que é tudo tretas os estudos que apontam para o risco. Quando não convém, é treta.
      esta é mais que visto que isto anda tudo danado porque fuma às toneladas e não é capaz de assumir o que quer que seja."

      Que grande gargalhada que eu soltei. Inevitável. A senhora está a ser ridícula, porque não sabe o contexto da fumadora. Mas vamos continuar a dizer que ela é um péssimo ser humano só porque fuma. Isso fá-la sentir melhor consigo mesma?

      Eliminar
  8. O tabaco é um vicio. Acho muito bonito quando ambos fumam e só a mãe deixa de fumar, e quando não deixa, o companheiro também fumador enche-se de considerações morais acusadoras.
    Ela já fumava antes de ser mãe. Habitua te!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah sim e a criança também é "habitua-te"???

      Eliminar
    2. Isso é o cúmulo...

      Eliminar
  9. As coisas não são bem assim.... Fala com qualquer obstetra para perceberes. O fato de ela deixar de fumar pode causar stress, tanto para ela, como para o bebé que também sente isso. Quem é fumadora e engravida não deve deixar de fumar de forma abrupta sob pena de provocar demasiado stress para o bebé e as coisas não correrem bem. É preferível que a mãe continue a fumar e se possível, reduzir.
    Agora... não sabendo a situação, concordo com o que foi dito acima, se quando a conheces-te ela já fumava, já sabias perfeitamente para o que te estavas a "inscrever" ao juntares os trapinhos e decidirem ter um filho. Neste momento, aquilo que tu queres é mudar a tua companheira à força e assim não vai dar bom resultado.
    Só pelo fato de estares a dizer que a odeias, já vejo o caminho que isto vai tomar e quem vai sofrer é mais uma criança que não pediu para nascer.

    ResponderEliminar
  10. Tão amorosos e tolerantes os fumadores. Viciados, dependentes, é o que eles são, mas custa-lhes admitir isso. Eles e elas. Quando se beija um ou uma sabe a cinzeiro.

    ResponderEliminar
  11. Ai que lindo que esta geração anda!!!!! Então o miudo também tem que calar e habituar-se porque a mãe ja fumava antes de ele nascer??? E nem quero pensar que a mãe fumava enquanto gravida, e isso parece não chocar ninguém também! Habituam-se todos ao mau habito mau para a saude e prontinho, problema resolvido! Haja paciência!

    O meu homem tinha deixado de fumar quando o conheci, depois numa altura de muito stress voltou a fumar. Agora ja lhe disse, enquanto não deixar de fumar não ha bébé nenhum! Não é chantagem, mas para mim é inconcebivel que a criança tenha que levar o fumo do pai ou ter sempre contacto de cheio a tabaco forte desde que esta com o pai.

    Toda a gente sabe que fumar é péssimo para a saude, e que o contacto directo ou indirecto com o tabaco da parte da criança é extremamente nocivo, mas pronto, calem-se e habituem-se, hã! Que a criança leve com fumo ou com cheiro a tabaco constantemente, é normalissimo!

    O tabaco é um vicio mas so não deixa de fumar quem não quer! Se ainda não perceberam, nenhum vicio é eterno nem genético!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Agora ja lhe disse, enquanto não deixar de fumar não ha bébé nenhum! "

      Coitado do seu marido lol Deve ser lindo lá em casa deve

      Eliminar
  12. Pela saúde dela, do bebé e do (vosso) ambiente, podes e deves conversar com ela calmamente acerca do assunto, tentando entender que por vezes é difícil deixar os vícios, neste caso o do tabaco.
    Podes não gostar do hábito dela do tabaco sobretudo depois de ter sido mãe, contudo, se puderes pensa na palavra do teu segredo: ódio.
    O ódio engloba mais do que não gostar de um vício da pessoa que temos ao nosso lado, da mãe dos nossos filhos. Não achas?
    A meu ver é uma palavra forte, feia e com uma enorme carga negativa.
    Se gostas dela, se amas, tenta conversar, compreender, ajudar, com AMOR e nunca com ÓDIO.

    ResponderEliminar
  13. Há situações em que deixar de fumar durante uma gravidez pode ser pior do que fumar uns cigarros.
    Agora, se ela já teve o filho, o pior já passou, e desde que ela não fume perto dele está tudo bem.

    Ela já teve de o parir, já passou por bastante, e a pós-gravidez é super stressante por si só... Que tal seres mais brando? Btw, chega-te à frente para tomar conta do bebé, para ela ter um descanso! Faria-lhe imensamente bem pela saúde mental dela!

    ResponderEliminar
  14. Não fumava quando casaste com ela? Anda lá! Vai mudar a fralda ao puto enquanto ela fuma um reconfortante cigarro.

    ResponderEliminar
  15. E o senhor também fuma? E se fuma, também pensa em deixar?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pergunta parva e desnecessária, ou não entendeu o segredo?

      Eliminar
    2. Não é desnecessária. Se ele fuma, e também está com o filho, não tem moral para criticar.

      Eliminar
    3. Anon 22:22
      É a senhora a destilar ódio por aí, não? Bem, a pergunta foi mesmo bem feita, não foi nada desnecessária. Desnecessário é esse destilamento e ódio que anda por aqui a fazer. Resolva-se senhora.

      Eliminar
    4. Anónimo das 00:23, 09:28 e 09:30,
      Obrigado por terem percebido e por existirem, porque se dependesse do anónimo das 22:22 e outros como ele, acho que preferia atirar-me da ponte Vasco da Gama. Haja paciência...

      Eliminar
    5. Anónimo das 22:22,
      A única coisa que poderá ser salva do seu comentário é que poderá fazê-lo milhares de vezes em frente ao espelho para si próprio(a). Faça isso e vai ver como tudo aquilo que vê nos outros aplica-se perfeitamente a si.

      Eliminar
  16. Eu acho esta razão tão válida como qualquer outra para acabar com um casamento. Eu também acabaria o meu casamento se a pessoa deixasse de ser vegan, se fosse a touradas ou se torna-se militante do PNR, por exp.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Same! :)
      Também não namoraria (quanto mais casar) com um homem que não fosse vegetariano.

      Eliminar
    2. Mas aí são coisas que iriam mudar, neste caso parece que a mulher já fumava antes.

      Eliminar
    3. E eu também acabaria com o meu casamento de 20 anos se a minha mulher deixasse de gostar de canários e ananases...
      E se fosse Vegan ou vegetariana, acho que a enchia de porrada!

      Eliminar
    4. Acho que o Francisco não percebe a importância que tem, para quem não se alimenta de cadáveres de animais, que o/a parceiro/a também não o faça. Para mim é tão importante quanto não ser racista ou sexista.

      Eliminar
    5. Já eu sou que como carne seria perfeitamente capaz de amar um vegam, porque aceito as opções alimentares dos outros ou os partidos políticos.
      São opções.

      Eliminar
    6. Anónimo das 7:53,

      Por alguma boa razão a mãe natureza tornou o homem omnívoro e se fossemos todos vegetarianos, provavelmente o planeta inteiro já estaria todo rapado e o ser humano estaria a fazer tijolo por não haver oxigénio. Mas ainda assim, na verdade, até sou capaz de vos perceber. Mas isso que relataram são todas boasrazões para não se começar um relacionamento/casamento, não para se acabar com ele. Durante uma vida em comum, vamos cometendo muitos erros pelo caminho e a missão do(a) nosso(a) companheiro(a) é saber alertar-nos, orientar-nos para o caminho certo, e não para acabar com um casamento ao mínimo pretexto que surja. É importante vivermos ao lado de alguém que também saiba partilhar a nossa visão de vida, mas acho que ninguém quer ter ao seu lado uma pessoa que se anula a si própria só para agradar o(a) parceiro(a).

      Eliminar
    7. Na verdade, o ser humano tem a fisionomia mais próxima de um frugívoro que de um omnívoro, e a "mãe natureza" não nos criou para comermos as quantidades ridículas de produtos de origem animal que comemos hoje no ocidente... depois admiram-se de andar todos doentes. Recomendo duas coisas, o documentário "What the Heath" e o livro "The China Study". E é uma falácia a ideia de que se todos fôssemos vegetarianos acabaríamos com os recursos do planeta. É o oposto. Os animais criados para comer consomem mais recursos que nós, se em vez que comermos animais que comem plantas comessemos nós próprios as plantas.

      Mas bom, eu sou vegetariana principalmente por razões de ética animal, e tal como não deixarei de ser, sei que o meu namorado também não deixará. Não teria começado a namorar com ele se não o fosse, porque não comer animais é fundamental para mim.

      Eliminar
  17. A minha sempre fumou. Tenho 35 anos e sou saudável nunca tive doente.
    Brinquei na rua e em parques infantis onde ng se preocupava com areias urinadas e defecadas por amimais.
    Podia continuar no role de atividades que hoje os pais protegem as crianças.
    A verdade é que esta sociedade quanto mais se preocupa com a saúde mais doente fica.
    Hoje os filhos são uma Flôr de estufa e passam a vida doentes e a culpa é dos pais e mães.

    ResponderEliminar