terça-feira, 25 de julho de 2017

Segredo.25.14


30 comentários:

  1. O desnível intelectual é uma das coisas que mais desgasta um casamento, principalmente quando a paixão desaparece. Apesar de compreender o seu desabafo, acredito que ele tem muitas qualidades.

    Nuno

    ResponderEliminar
  2. e só ficou assim depois de casar contigo?

    ResponderEliminar
  3. Não namoraram antes de casar?

    ResponderEliminar
  4. E de que forma o ajudas a evoluir? Ou só te queixas?

    ResponderEliminar
  5. Como a compreendo, sou licenciada e fui casada com uma pessoa que tinha o 9º ano.
    Não havia problema nenhum mas quando estávamos com amigos meus, notava-se que era uma pessoa limitada e inculta e que os mundos eram diferentes, até nas expressões e no palavreado utilizado.
    Muitas vezes tive vergonha e às pessoas do meu trabalho nem dizia o que ele fazia ou que tinha apenas o 9.º ano...
    O casamento acabou e jurei para nunca mais me envolver com alguém que não fosse do mesmo "nível" que eu...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve de ter imenso "nível" !!!!

      Eliminar
    2. triste comentário...vida!

      Eliminar
    3. Conheço tanta gente licenciada com um "nível" de fazer chorar as pedras da calçada...burras e incultas.

      Eliminar
    4. Sinceramente, não vale a pena continuar a ler após a primeira frase. Quando para alguém a escolaridade é uma régua para medir a capacidade das pessoas, está tudo dito. Ser humano fraquinho...

      Eliminar
    5. Para quem julga ocupar um nível elevado, esse seu comentário foi de muito baixo nível. Sinto muita pena do seu marido.

      Eliminar
    6. nada contra.... mas o seu nível deve ser bem inferior só pelo seu comentário. Ainda bem que acabou para o seu ex.
      É claro que todos temos defeitos e que não somos bons em tudo, mas é suposto melhorarmos, crescermos e sermos pessoas melhores. Apontar os defeitos, sim, mas discutir o "nível" porque somos superiores intelectualmente, Ridículo.

      Eliminar
    7. Aqui foi ao contrario...o seu marido é que teve vergonha de si..

      NM

      Eliminar
    8. Isto é tudo inveja ou quê nos comentarios.....?

      A senhora deu um exemplo, mas desculpem, a realidade é que sim, o nivel de escolaridade significa alguma coisa, sobretudo hoje em dia, mesmo se não é tudo.
      A maioria dos meus amigos apenas com o 9o ano não têm la grande cultura, é a realidade, e a maioria dos meus amigos licenciados são muito mais inteligentes. São pessoas adoraveis, mas cultura??? A maioria não gostava da escola, e acha estupido ler, não se interessam em leitura nenhuma que não seja BDs ou revistas de carros, se não gostavam ler na escola garanto que a maioria não gosta de ler agora que não estuda, não lêm revistas nem livros "inteligentes". Ver documentarios culturais na TV ou internet é para eles uma grande seca e não percebem quem goste de ver. Por isso, peço desculpa, a maioria são assim. Porque para ter uma certa escolaridade, é preciso gostar e interessar-se pela cultura e leitura e aprendizagem, e quem gosta disso tudo geralmente vai ter "sede" de ter uma escolaridade mais elevada para aprender mais visto que hoje em dia é acessivel a todos. Ponto final.
      Agora, é verdade que os meus amigos do 9o ano são mais manuais do que eu alguma vez serei. Interessam-se mais a tudo o que é manual e mecanica e sabem fazer muita coisa que eu não sei. E ainda bem, se o mundo tivesse so culturais ou so manuais, não so seria uma seca como nada evoluiria. Agora, dizer que eles têm a mesma cultura que eu? Hmmmmmm não. E sinceramente, não se sentem ofendidos com isso. Muitos pedem-me ajuda para coisas mais intelectuais, e eu peço-lhes ajuda quando preciso de uma coisa mais manual. Alias, a maioria quando vem pedir-me ajuda diz-me "olha, tu que és mais inteligente que eu e que andas mais nestas coisas que eu, sera que poderias.....". Porque raio seria uma ofensa a quem quer que seja?? E eu quando preciso de ajuda numa coisa manual, digo a mesma coisa mas em vez de inteligente, meto "manual". Alguém se sente ofendido? Não! O mundo é assim e não somos todos iguais, e ainda bem. Ninguém é melhor que ninguém, apenas diferentes. Eu, sem essas pessoas mais manuais, não seria grande coisa!

      Não faço generalidades porque ha gente que tem o 9o ano e é inteligente, mas desculpem estou de acordo, a maioria não é! Ou, vamos falar de cultura então, porque podemos dizer que são inteligentes de outra forma, inteligentes com as mãos ou noutras artes mais manuais....

      Eu também tenho licenciatura, e por acaso até aos 28 anos calhei apenas estar apaixonada por pessoas que so tinham o 9o ano e sim, eram todos relativamente incultos! Não havia grande conversa a dar em assuntos um pouco mais elaborados. Agora estou com alguém que tem o 12o ano mais curso profissional de 2 anos, e sinceramente, vejo a diferença....

      A mim não me fere o ego se me disserem que acham os mestres ou doutores mais cultos que eu! Pouco me importa, porque até se calhar é bem verdade. E então?? Ainda bem que ha de tudo para fazer este mundo...

      Se vocês se sentem reconfortados na vossa ideia quando dizem que a escolaridade não é nada porque não têm uma escolaridade elevada......... enfim, não muda em nada o "problema" que a realidade é outra.

      é como as mulheres que dizem que os homens preferem os baixotes, a maioria das que dizem isso são as baixotas lol. So para transmitir uma ideia....

      PS: é sempre possivel casar com alguém e se amar alguém e sentir vergonha quando essa pessoa diz ou faz alguma coisa. é completamente estupido achar que o casamento esta morto ou é inutil so porque ela sente vergonha do facto do seu marido ser inculto quando exprime algumas das suas opiniões! Ele pode ser alguém de muito simpatico, adoravel, fiel, cuidar bem dela, excelente sexo, enfim, ter tudo o resto, e so porque ela sente vergonha às vezes ja é motivo de criticar a autora e o casamento??? Vocês são ridiculos a esse ponto? Ja não me admira que os casamentos não durem nada, visto como vocês baixam os braços tão facilmente....

      Eliminar
    9. Anónimo(11:08),

      Apesar do seu texto longo, não vi nada de transcendental nas suas palavras e nem sequer no seu raciocínio. Para quem afirma ter uma licenciatura, gostava de ter visto algo muito mais elaborado da sua parte. Algo digno do seu nível...
      Repare que você é tão culto (ou tão culta) que foi capaz de dizer:"Não faço generalidades" em vez de "Não generalizo"...
      Não somos o que dizemos, somos o que fazemos. Todo o seu raciocínio é errado. Conheço muita gente que tirou uma licenciatura e são uns verdadeiros cepos de madeira a conversar. Alguns são tão fraquinhos que nem se apercebem da figura triste que fazem quando, julgando fazer papel de esperto, relatam todas as vezes que fizeram plágio ou conseguiram levar "cábulas" para a sala de aula nos dias de testes sem que os professores se dessem conta. Logo, não queira impressionar ninguém com essa história da formação académica. Nunca ouviu dizer que é preferível ter "Tarimba do que Coimbra"? Olhe, já que gosta assim tanto de ler, procure o significado dessa expressão e medite sobre ela, e talvez assim consiga aprender mais qualquer coisinha sobre o mundo erúdito ou então junte-se aos seus amigos nas artes manuais. A encadernar livros quiçá...

      Eliminar
    10. Todas as licenciaturas deviam ter a disciplina de Português, pois há muitos licenciados, como a senhora acima, que não sabem escrever. Falta de acentos e vírgulas..."a maioria é assim" ...

      Eliminar
  6. Conheço Pessoas Licenciadas que são intelectualmente mais incultas do que outras com o 9ºAno. Como alguém se apaixona se não sentir identificação e respeito intelectual pelo outro?
    Eu só tenho a 4ª Classe antiga, sei que as relações podem ser efémeras, mas começar uma relação com alguém em que à partida se considera a outra pessoa pouco inteligente e culta, parece-me sim, um acto de burrice..mas isto sou eu que por vezes sou demasiado pragmático.

    ResponderEliminar
  7. Discordo complatamente quando comparam uma pessoa que tem por exemplo uma licenciatura/doutoramento com outra que tenha 9. Ano ou 12. Ano!!! Ha tanta gente com o pouca escolaridade e tão ou mais culta que muitos doutores.
    Mas pronto....

    ResponderEliminar
  8. E também casou com ele pelas mesmas razões?

    ResponderEliminar
  9. Inteligência e cultura nem sempre estão ligadas a escolaridade. Claro que é suposto quem estudou mais ter mais conhecimentos, mas isso significa menos do que se possa pensar. Conheço muita gente que tem licenciaturas e mestrados e são pouco cultas e pouco inteligentes. Não acredito muito na questão das diferenças pela escolaridade mas sim pelas próprias capacidades de cada um (que sim, são desenvolvidas com a escolaridade, claro, mas têm que existir antes).

    Pessoalmente acho que é muito importante numa relação sentir que eu e o meu namorado/marido estamos em patamares muito semelhantes ao nível da cultura e inteligência. É muito difícil sentir admiração ou sequer conversar com alguém que consideramos pouco culto ou pouco inteligente. Para mim é importante ter alguém que me perceba, que acompanhe os meus raciocínios, que seja capaz de conversar comigo de igual para igual. Isso não tem a ver com escolaridade, mas sim com outras coisas...
    Não diria que nunca me apaixonaria por alguém que só tem o 9º ano porque tenho um mestrado e quero alguém do mesmo nível, como disse uma anónima acima. Mas acho que estas diferenças podem ser acentuadas e sim, podem ser um problema na relação, dependendo do que cada um procura na pessoa que tem ao lado.

    ResponderEliminar
  10. Uma pessoa pode amar perfeitamente outros mais burros ou mais incultos, mas isso nao quer dizer que nao tenha essa percepçao.

    Autora:
    - O meu pai, que eu amo de morte, acha que o homem nunca foi á lua.
    - Um amigo meu nao sabia que os portugueses tinham ido á India, nunca ouviu a palavra Goa, nem que o Antonio Costa tinha raizes indianas.
    - Outro amigo, nao sabia que as apariçoes da Nossa Senhora no mundo (independentemente de acreditar ou nao)eram sempre da mesma mulher, ele nao sabia que só há uma mulher considerada a mae de Jesus, que é a Nossa Senhora. Ele acha que sao varias mulheres.
    - Outro insistiu comigo que uma mulher tem muitos ovarios, por mais que eu dissesse que ele estava a confundir com ovulos, ele nao acreditou em mim.

    Se isso muda alguma coisa em relaçao a eles ? nao
    Mas eu tenho a percepçao na mesma. Eles nao sao SO´ incultos, mas tambem sao incultos.

    ResponderEliminar
  11. O segredo não fala em escolaridade.
    Dito isto, não imagino estar numa relação onde sentisse vergonha e não creio que tal situação não mine os sentimentos.

    ResponderEliminar
  12. Nós não sabemos tudo e temos que ser humildade para aceitar isso! Há áreas que sabemos mais do que outras. Mas há uma coisa que distingue as pessoas que é a educação, a delicadeza, o trato. Basta observar a pessoa a comer, a beber, a apresentar-se, a atender o telefone, a despedir-se, não fechar a porta na cara das pessoas, entrar num local e dizer -Bom dia, a escrever um e-mail, uma mensagem, etc... Há pequenas coisas que se distinguem muito bem uma pessoa educado de outra. Ter uma pessoa ao meu lado sem ser assim, não dava. Se a pessoa for educada mesmo que não seja muito inteligente não será rejeitada. Ao contrário, dificilmente alguém está para conversar que uma pessoa inteligente mas sem educação. Há outros factores que infelizmente nesta sociedade contam muito: dinheiro e poder. Pessoas com dinheiro mas sem delicadeza e trato são muitas vezes tratadas melhores que outras! Basta observar o que se passa à nossa volta.

    ResponderEliminar
  13. Não entendo como se pode casar com alguém que não valorizamos, a pouca cultura ou inteligência mão é algo que o outro nos possa esconder.
    Já estive com pessoas mais inteligentes e cultas que eu e o inverso também, sempre coloquei na mesa uma regra, quando um de nós não sabe ou tem dúvidas pergunta, no fim de todas as minhas relações constato sempre que evolui, tal como cresceu quem está comigo... Uma relação é uma viagem e devemos ajudar-nos no caminho para não nos perdermos.
    Maria

    ResponderEliminar
  14. O comentário diz mais sobre quem o escreveu do que sobre o marido.
    Podia escrever um tratado mas deixo apenas que o marido não se tornou pouco inteligente e culto depois do casamento... A não ser que tenha tido um episódio de filme que lhe "apagou" algumas zonas do cérebro.
    O marido não teve sorte com a mulher que casou.
    Maria S.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E podemos também salientar que, normalmente, quando estamos na companhia de pessoas inteligentes, algo em nós muda sempre e, de certa forma, acabamos por ser influenciados por eles, mas este marido não parece ter ficado mais "culto" com a presença da mulher...

      Eliminar
  15. A cultura para mim pouco interessa! Já agora o que é cultura? saber todas as telenovelas de cor? saber que aquele quadro "estranho" foi feito por um pintor famoso? Saber o resultado do integral triplo r^2 dx dy dz? ler jornais ou revistas cor de rosa? meus senhores.. a cultura depende de muita coisa, apesar de aceitar que existe um mínimo que devemos saber. O resto depende de cada um, dos círculos de pessoas onde se anda, das zonas onde se vive.. etc são múltiplos factores.
    Para mim, numa pessoa dou muito mais valor às atitudes, à atenção que dá a outra pessoa, a perspicácia, o humor, a educação (forma como tratam as pessoas). O resto, a meu ver é supérfluo.
    Eu quando calho num grupo de homens onde passam o tempo a falar de futebol.. levanto-me e vou embora, sou um inculto nesta área que até mete dó! :)

    ResponderEliminar
  16. Compreendo a autora do segredo, já me vi numa situação em que senti o mesmo. No meu caso o meu ex até era inteligente, mas era totalmente desprovido de curiosidade e vontade de evoluir. Ou seja, não gostava de ler, estudar, conhecer... nada.
    Se eu tentasse falar com ele de algo que não fosse a nossa rotina diária ou o último jogo do Benfica estava tudo lixado. Antes de estar com ele não fazia distinção de pessoas. Reconheço que depois dele comecei a fazer.
    Ainda demorei algum tempo até me dar conta que ele não fazia questão nenhuma de aprender o que quer que fosse, até ficava aborrecido se eu tentasse puxar certo tipo de assunto. Depois percebi que ele é que se sentia inferiorizado pela pouca escolaridade que tinha e também por alguma falta de maneiras e por isso preferia não se focar em nada que fosse mais além.
    Afinal mostrar interesse em aprender algo ou melhorar um pouco os modos era reconhecer a sua inferioridade e isso ele, orgulhoso como era, não podia fazer. Lembro-me que um dos aspectos que mais acabou por me incomodar era a forma como ele comia.
    Ninguém nasce ensinado, mas há aqueles que se recusam a aprender por orgulho. Não podia dizer-lhe nada. Tinha que tolerar os arrotos e o mastigar de boca aberta, entre outras coisas à mesa?! Quando estamos apaixonados algumas coisas parecem insignificantes, mas isso pode mudar.
    A maioria das pessoas gosta de dizer "que somos todos iguais, nem mais nem menos." Claro que somos todos iguais na medida em que temos igual valor, se pensarmos em termos de vida humana. Toda a vida humana é valiosa. Mas nem todos somos companhia agradável para todos, ao fim de um tempo.
    Não vou falar de grau académico, vou mesmo falar de "nível" embora alguns lá atrás já se tenham "picado" com essa palavra, mas quando se fala de bom trato e boas maneiras é mesmo uma questão de "nível". Ou se tem ou não se tem.
    Mas o pior é mesmo quando não se quer aprender a ter. Isso revela uma mente tacanha!
    Agora quem quiser que se "pique" para aí à vontade. Vá digam lá que sou fresca e que eu é que não merecia o meu ex e que não tenho "nível" nenhum! Ai que malvada que eu sou!!

    ResponderEliminar