segunda-feira, 31 de julho de 2017

Segredo.31.10


16 comentários:

  1. Este segredo não deixa de ser "engraçado"...infelizmente nunca conheci o meu avô paterno, mas percebo perfeitamente o que o autor/a diz, pois passou-se exactamente o mesmo com a minha avó paterna!
    Já os meus avós maternos, são os meus segundos pais <3
    Acho que de um modo geral, isto acontece com a maior parte das pessoas que eu conheço :/
    É curioso...

    ResponderEliminar
  2. É triste, mas acontece muitas vezes. Talvez porque ainda há muita gente que faz regra do provérbio: «Os filhos da minha filha meus netos são, porque os da minha nora serão ou não.» Falo por mim, que sou homem: eu nunca farei distinção entre os meus netos por serem filhos da minha filha ou do meu filho. Também não conheço avós (homens) que façam grande diferença entre os netos filhos dos filhos ou filhas. Já o mesmo não posso dizer em relação às avós (mulheres). Da mesma forma que há mais atritos entre sogras e noras do que entre sogros e genros. Claro que há excepções, mas isto passa-se em muitos casos. E não me venham com a figura do machismo. As mulheres, melhor que ninguém, devem saber explicar porque é que isto acontece.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sou mulher e não consigo encontrar uma resposta para essa distinção.
      Talvez seja a rivalidade feminina? Não sei.

      Mas neste caso, se até o avô é assim, será que não é da idade dos netos? Ou será que não são muito chegados a uns filhos, e aos-outros já são?
      Não faço ideia.

      Eliminar
  3. Não servirá de consolo mas não se sinta sozinho. A maioria das famílias tem histórias assim. A minha não é excepção. Às vezes entristece-me, na maioria das vezes já não me incomoda. Um dia, quando tiver a sua família, fará tudo diferente, certamente.

    ResponderEliminar
  4. Somos dois. Nem paternos nem maternos.

    ResponderEliminar
  5. talvez os teus avós conheçam aquele adágio:
    os filhos das minhas filhas meus netos são...
    os filhos dos meus filhos podem ser meus netos... ou não...

    ResponderEliminar
  6. Os filhos das minhas filhas meus netos sao, os filhos dos meus filhos serao ou nao.. Obviamente e so uma brincadeira mas da minha experiencia as noras sofrem mais nas maos dos sogros do que os genros. Nao sei porque, mas parece regra com algumas excepcoes...eu fiz parte da regra e se ha coisa que aprendi foi: viver perto dos sogros "jamais". As vezes e uma bencao nao fazer parte da vida de algumas pessoas.

    ResponderEliminar
  7. Por acaso tenho a sensação que os avós paternos dos meus filhos também não gostam dos netos.
    Tenho um recém-nascido com 1mes e o avô ainda não o visitou apesar de ter sido convidado várias vezes e a avó paterna faz "birras" por atenção dos filhos sempre que eles são pais. Desta vez só viu o neto depois de obrigar o filho a servir de taxista para o ir visitar e aborreceu-se passados nem 5 minutos de visita (literalmente) exigindo ao filho que a levasse a casa. Sao só cerca de 20 minutos de viagem para cada lado.
    É de referir que estes avós ainda são casados, têem autonomia, carro e sabem conduzir...

    Já com o meu filho mais velho fizeram o mesmo. Babavam-se para quem os queria ouvir, andavam a beijar fotos à frente de todos mas ignoraram completamente a criança até ele ter 1 ano. Chegou ao ponto de ele nem os querer por perto quando queriam tirar fotos para " ingles ver".
    A mim custa-me muito até porque sempre tive na minha avó uma segunda mãe, a minha mãe já faleceu e os meus filhos só têem uma bisavó que os trata com amor e sei que o meu marido sofre tb por ver como eles sao com os netos.

    ResponderEliminar
  8. Perfeitanente normal numa cultura ginocêntrica, beneficios de ter uma vagina, se um homem e uma mulher ambos estiverem numa situação de perigo, a sociedade dá sempre prioridade às mulheres. É algo tribal.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mas que raio? Ginocêntrica? E eu a achar que era tudo centrado no meio das pernas deles!
      Isso são as pessoas a acharem que os seus filhos são melhores que os filhos dos outros, neste caso, que a nora é pior que o filho e portanto pode ter andado a dar umas voltas com outros sem ser com o filho-deles. Mais uma vez, a quererem ceifar a vida de uma mulher, para que ela se mostre o "ideal" para o filhinho querido deles. (quando secalhar quem anda a comer por fora é ele,mas aí a culpa é da mulher, porque o filho nunca faria algo assim sem uma razão)

      Eu estou só a mostrar o outro lado. Porque às tantas não é nenhuma destas versões.

      Eliminar
  9. Na família do meu namorado é precisamente o oposto: as meninas, filhas do filho deles, é que são as preferidas enquanto os filhos da filha são apartados. Neste caso, acho que é por serem meninas e não por serem filhas do filho ou da filha. Têm preferência por meninas, claramente, e deixam os netos homens de parte, só servem para fazer recados e favores. As meninas nem lhes ligam nenhuma, mas são "as meninas!".

    ResponderEliminar
  10. A realidade é que as mulheres normalmente não se aproximam tanto às famílias dos maridos como às suas próprias famílias, e por consequência levam muito mais os filhos a aproximarem-se mais da família delas. E os maridos para não terem chatisses deixam-se levar por elas. Não é certo, mas é a realidade, pelo menos no meio que conheço e à minha volta pelo que vejo é assim e o resultado dá que os Avós paternos são geralmente mais afastados. Não é justo, e há excepções, mas são realmente excepções.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu não sei se é isso (duvido um pouco) mas se a mãe da criança se dá mais com a sua família (o que é normal), isso não impede o pai da criança de tentar ter mais momentos com a família dele. E eu não vejo muitos homens a ter contacto com os pais, da mesma maneira que por exemplo as suas irmãs têm.

      A culpa certamente não é da mãe da criança A NÃO SER que ela impeça a criança de estar com os avós paternos.

      Eliminar
  11. Passei pelo mesmo com os meus avós paternos. A coisa mais triste é que as metas que eles sempre idolatram não querem saber deles para nada, restam os dois que sempre fizeram questão de deixar para trás.

    ResponderEliminar
  12. Se já os descreves dessa forma, então ainda bem que não estiveram presentes na tua vida, não deveriam de ser uma boa influencia.
    Eu só cresci com uma avó, da qual gosto muito dela, mas digo-te não é a melhor pessoa deste mundo e não foi nunca uma avó carinhosa e fofinha, como idealizamos numa avó. Neste momento ela tem 93anos e estou sempre com ela quando posso,m pois gosto muito dela, mas ela conhece bem os defeitos dela e nós os netos e os filhos dela também conhecemos...

    Os avós do meu marido, ao contrário da minha avó sempre foram muito meigos e queridos e super prestáveis, sempre gostei muito deles, eram os típicos avozinhos das histórias.

    ResponderEliminar