quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Segredo.03.15


41 comentários:

  1. Estou exactamente na mesma situação... Não vou a um casamento porque odeio o noivo por todo o mal que fez a uma amiga, mas a verdade? Eu é que sou a má da fita por não ir partilhar este momento taoooo feliz da vida dela...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu deixei de ir a casamentos e batizados, eram sempre uma seca.
      Reconheço a felicidade dos noivas, aliás se eles n estiverem felizes mais ninguém está, mas como convidada apanhava sempre uma seca descomunal e gastava muito dinheiro ( se fosse hoje nem metade gastava e n sei se dava prenda alguma, sou convidada n patrocinadora), para além de que temos sempre que gramar com alguém que n gostamos no meio dos convidados!

      Eliminar
    2. Anon das 17:47, o seu comentário podia ser escrito por mim! Penso exactamente assim :-)

      Eliminar
    3. Uma seca?? Desculpe la as pessoas que levam meses a preparar algo muito dificil a gerir mesmo no proprio dia! Você deve ser tão perfeitinha e sempre muito divertida como pessoa!
      Espero que ninguém va ao seu casamento, ou coisas organizadas por si, por ser "uma seca". E os casamentos custam sempre mais caro do que as prendas dadas! Alias, você so da em prenda o que quiser dar, até parece que lhe obrigam a um montante... você é convidada mas deve achar que os noivos lhe oferecem o jantar e a festa etc de graça!
      gente mais azedinha...

      Eliminar
    4. Tambem concordo...passa-se cada frete em nome do que cai bem.

      Eliminar
    5. Anonimo das 11.21...a sério? Então os convidados, não são convidados, mas patrocinadores da festa é isso? E já agora, não é obrigatório dar um montante, pode escolher oferecer uma prenda (dentro das posses de casa um).
      Se os casamentos e as festas custam caro, e estão à espera que sejam os convidados a cobrir (pelo menos) o valor da sua presença, então lamento, mas é tudo uma fantochada.
      E sim, normalmente os casamentos são uma seca, raros são os que não o são!

      Eliminar
    6. Não gostar de algo é diferente de ser-se azedo. Eu também acho os casamentos uma seca e não quero gastar um balúrdio em prenda. Como resolvo isto? Simples, não vou. O azedume poderia surgir se me sentisse na obrigação de ir e estivesse lá contrariada.

      Eliminar
    7. Anonimo 11:21: Fui eu que escrevi o comentário das 17:47 e até era para escrever mais. Eu sou convidada n tenho nada que saber se os noivos tiveram meses para organizar o casamento ou se contrataram alguém para o fazer. Em n sou casada nem pretendo casar, dar uma seca e "prejuízo" aos convidados, no entanto se o fizesse seria de um bom gosto e requinte,onde certamente "obrigava" os convidados a n darem prendas e sim a desfrutarem.
      Todos os casamentos que fui os noivos fizeram em prendas mais do que fizeram de despesa, até porque muitos dos noivos tiveram o casamento oferecido pelos pais (como é tradição em alguns lugares) e fique a saber que sempre fui generosa nas prendas, até porque nunca recebi nenhum convite a dizer que n aceitavam prendas ou dinheiro.
      Como você disse eu n achava que ia comer de graça mas para pagar o que pagava ( muitos dos noivos divulgavam o quanto pagavam à cabeça e até o que os convidados ofereciam e até conheço quem tenha ficado mal com convidados por causa das prendas oferecidas ou n oferecidas) fico em casa.
      Agora com o dinheiro que n gasto nessas secas, gasto em açucar já que diz que sou muito azedinha. Viva os noivos, abaixo ás prendas e ás secas dadas aos convidados com a música pimba, o aputo o comboio, o fogo de artifício manhoso, os leilões da liga da noiva e gravata do noivo... ( acrescentem mais porque estou desatualizada destas andanças)

      Eliminar
    8. Mais uma que acha casamentos uma seca e um gasto de dinheiro absurdo. Também já me deixei dessas coisas. Não sei porquê que alguém se ofende com esta posição!
      A

      Eliminar
  2. Mas devias dizer. Não dessa forma, mas devias dizer, se tens mesmo a certeza que ela é mal tratada. Por incrível que te possa parecer, talvez a tua amiga não se aperceba verdadeiramente disso. O amor é mesmo cego e quem passa pelas coisas nem sempre as vê da mesma forma do que quem está de fora. Pensa nisso. Pensa se não valerá a pena falar com ela.

    ResponderEliminar
  3. Há mulheres que fazem tudo para ficar com determinado homem, até podem ser traídas mal tratadas ou ignoradas, mas querem ficar com ele e casar.
    Nada a fazer, têm de passar por essa fase e sofrer... depois, quando chegar ao fim, serão os amigos e família que apanham os cacos e a ajudam a recuperar...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Verdade. Existem cabeçadas que ninguém pode dar por nós.

      Eliminar
    2. Veridico, mas ha algumas que aparentemente precisam de passar por essa fase muitas vezes..livra, nem delas proprias gostam.

      Eliminar
  4. Só porque não é bom para nós, não quer dizer que tenha de ser mau para os outros. Onde você vê maus tratos e desrespeito para alguém, outras pessoas podem ver amor...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, ela deve estar num relacionamento abusivo e não se dar conta. Porque é exatamente isso que acontece num relacionamento assim.

      Eliminar
    2. Francisco...LOL...2 vezes...então maus tratos e amor são duas coisas tão parecidas que podem ser confundidas??
      Pois...a velha máxima...só te bato porque gosto muito de ti!

      Eliminar
    3. Anónimo (19:36),

      São parecidas porque dependem sempre da subjectividade do espectador. Primeiro é preciso clarificar que quando falamos em "maus tratos" não estamos forçosamente a falar em bater. Uma pessoa pode ser maltratada sem nunca ter sido violentada. A partir daqui, esta ideia poderá merecer de si uma melhor apreciação. Muitos vezes, por amor, somos forçados a tomar atitudes muito dolorosas e a assumir o papel de "feio" (chamemos-lhe assim). Perante isto, e mais uma vez voltando à questão da subjectividade, para quem não gosta do sujeito tudo o que ele fizer terá uma conotação negativa aos seus olhos, mas para quem ama, existe um certo entendimento das razões e do "porquê" de certas coisas poderem acontecer. Para além disso existe certos extremos da natureza que podem levar a confusões de juízo. Por exemplo, se a autora do segredo for femista...é natural que a sua avaliação seja carregada de negativismo em relação ao valor e ao comportamento do futuro marido da sua amiga, vendo maus tratos onde eles claramente não existem. Temos que saber avaliar bem as coisas, e ser dono de toda a informação, antes de largarmos um "LOL" de qualquer maneira para tentar fazer dos outros idiotas.

      Eliminar
    4. Francisco, LOL porque pensei que estava a ser irónico, mas agora vim aqui, e vi que não. Afinal o Francisco está mesmo a falar a serio.
      Francisco, arranje as desculpas que quiser ( e sabe Deus porque o esta a fazer), mas maus tratos, são maus tratos, sejam psicológicos ou físicos, não dá sequer para confundir com amor, ok? E não vale a pena argumentos patéticos para validar a nossa opinião. Maus tratos são maus tratos.
      Agora outra coisa, é quem é vitima de maus tratos. e não os vê como tal, confunde tudo, ou desvaloriza a violência. Isso é outra coisa, há quem leve e não se importe de continuar a levar, e acho até que há quem goste.
      Tenho cinquenta anos e já vi muita coisa, inclusive mulheres que são maltratadas física e psicologicamente, mas não largam o agressor por nada, e ainda o defendem. Há de tudo, e cada um é livre de escolher a sua vida, mas chamemos as coisas pelos nomes!

      Eliminar
    5. Anónimo (12:35),

      Primeiro julgou que eu estava a ser irónico quando eu estava a falar a sério...e agora, pede-me para não arranjar "desculpas" para algo que "Sabe Deus" eu devo andar a fazer...(foi pior a emenda do que o soneto)..
      Credo, que mais vai você atirar-me de seguida? Será que consegue pensar numa ideia boa? Ou os seus 50 anos de existência ainda não lhe ensinaram nada disso?
      Adoro quando vocês julgam ser boas pessoas só porque vão à missa ao domingo...

      Não minha senhora, o seu comentário foi um verdadeiro acidente em plena auto-estrada e não tem qualquer relação com aquilo que falei. Faça o favor de ler melhor. Repare que nem por eu ter pedido logo no inicio do comentário para separar a ideia de maus tratos com a ideia da violência (que essa sim, é sempre uma representação de maus tratos seja qual for o motivo) você foi moldar todo o seu pensamento na base da violência. Aposto que nem leu o meu comentário ou só leu as partes que lhe interessou. Já não tenho paciência para isso. Você, por detrás dos seus "50 anos que viram muita coisa", tem por obrigação ler tudo e perceber o que está à sua frente...e não vou explicar-lhe mais nada enquanto não fizer isso. Largue a preguiça e trabalhe a cabeça.

      É sempre a mesma coisa. Ficam tão cegas com a possibilidade de terem conseguido entalar o "cínico" (eu, para que não haja ainda dúvidas) que nem se dão ao trabalho de reflectir sobre aquilo que lerem realmente nem sobre aquilo que vão dizer em seguida. Que se lixe quem ai vem, é disparar a matar e no fim faz-se um balanço...

      Eliminar
    6. Francisco...LOL 3 vezes. Concordo plenamente com o anónimo das 12:35. Não há qualquer subjectividade nos maus tratos, tanto é que passou a ser crime público. A velha máxima de entre marido e mulher não se mete a colher já era. Esse tipo de pensamento - essa subjectividade de que você fala - só protege o agressor. Não arranje justificações para o que não é justificável. Cada um de nós, se tivermos os valores certos, sabemos identificar situações de abuso. E abuso não pode ser confundido com amor. Nunca.

      Eliminar
    7. Anónimo (09:06),

      Pois...tinha que ser...

      Caro(a) amigo(a), deixe-me dar-lhe um exemplo muito prático acerca da subjectividade e a forma como ela condiciona o nosso pensamento. Eu coloquei um comentário que você não gostou. Um anónimo (que não você e que também não gostou do meu comentário) respondeu-me com 2 pedras na mão. Você, como não gostou de mim, gostou imediatamente do anónimo. Eu, como já não tenho paciência para anónimos estúpidos, mandei o anónimo reler o comentário e pensar com a cabeça em vez de dizer asneiras. Você, que passou a gostar ainda menos de mim depois de ver-me tratar mal o anónimo, foi logo a correr rever o meu comentário inicial mas apenas com a intenção de encontrar algumas falhas (em vez de perceber o meu raciocínio) e poder dar razão ao anónimo. Como continua sem gostar de mim, nada do que disse (e que fosse bom) fez sentido para si. Era tudo ruim e estúpido. E como adorou o anónimo, tudo o que ele disse foi música para os seus ouvidos. De tal forma, que nem hesitou a lançar um 3º LOL decorridas poucas horas após esse tal anónimo ter levado na cabeça...
      Chama-se a isso subjectividade. Só vemos virtudes naqueles que gostamos e defeitos naqueles que detestamos. Conseguiu compreender isso ao menos?

      Agora vamos à minha análise. Nunca falei em momento algum que havia subjectividade nos maus tratos, existe é nas pessoas. Fala da subjectividade do expectador, daquele que está a assistir à cena, e que muitas vezes, por não gostar de alguém, consegue ver maus tratos onde eles estão longe de existir. Até citei o caso da "femista" para dar mais ênfase ao pensamento. Por isso é que recomendo sempre que sejamos detentores de toda a informação de modo a não fazer juízos precipitados. Nem sempre aquilo que parece ser, é. Consegue também perceber isso ou nem por isso? Se não consegue, também não consigo explicar isso de forma mais lenta.

      Saiba que muitas vezes, por amor, somos obrigados a assumir o papel de feio. Um pai, por exemplo, pode ter uma relação de cumplicidade e respeito com os seus filhos, mas em alguns momentos da vida pode ser obrigado a dar algumas palmadas para lhes dar educação e eles perceberem que existem limites que não podem ser ultrapassados. Se está a trata-los mal? Aos olhos de quem está de fora seguramente que sim, mas...e aos olhos dos filhos, ou do pai? Aqueles palmadas não podem ser determinantes para criar valores e formatar a personalidade deles no futuro?
      Outro exemplo: Conheço um casal que mora perto de mim cuja mulher teve no passado um grave e infeliz problema de álcool que a acompanhava desde muito antes do casamento. O marido, como gostava muito dela, um dia fartou-se e insultou-a do pioro, injuriou-a publicamente, deixando-lhe a ameaça de que a abandonaria se não largasse imediatamente aquele vicio. A verdade é que, depois dessa cena, ela parece ter levado o "aviso" muito a sério porque nunca mais vi aquela mulher com problemas de vinho e, tanto quanto sei, hoje dá-se lindamente com o marido. Como vê, muitas vezes, por amor, quando vemos que alguém que amamos está a enterrar-se e a maltratar-se a si próprio podemos ter que lhe dar uma "sacudidela" para que ele possa acordar para a vida. Para o povo que assistiu à cena, viram um marido a tratar mal a sua mulher, e a mulher...que viu ela? Será que foi realmente maltratada pelo marido? Ou será que foi salva por ele?

      Como vê, é muito fácil dar opiniões sem nexo e baseadas em porra nenhuma, mais difícil é saber avaliar bem as coisas. Você fala em ter valores certos, e eu digo que são muito raros os que tem realmente esses valores. Costuma-se dizer que pimenta no rabo dos outros para nós é refresco. Todos nos achamos bons juízes quando nos toca avaliar a vida dos outros mas quando a pimenta chega ao nosso rabo...

      Eliminar
    8. Francisco...só consegui ler o 1º parágrafo do que escreveu. Sinceramente não há pachorra.

      Eliminar
    9. Francisco, porque razão eu haveria, ou não, de gostar de si se nem sequer o conheço?
      Não sei se você tem falta de auto-estima ou necessidade de valorização mas, e pela quantidade de comentários que deixa em cada segredo, como se fosse expert em todo o tipo de matérias, leva-me a crer que terá alguma coisinha a resolver na sua personalidade.
      Pois então vou dizer-lhe também um segredo:
      Você não é a estrela da companhia e nem tudo gira em torno das suas opiniões.
      Todos somos pessoas diferentes, com vidas e experiências diferentes.
      Não tenho nenhuma razão para não gostar de si e vice versa.
      Não leve tudo tão a peito...afinal este segredo não é seu, e esta não é a sua vida.
      Anon. 09:06

      Eliminar
    10. Anónimo (22:34),

      Não desista, aprender a ler é mais fácil do que pensa.

      Eliminar
    11. Anónimo (09:34),

      Ao dar uma resposta tão evasiva você apenas indica que foi você quem levou tudo a peito...
      Repare que você não rebateu nenhum dos meus argumentos, apenas focou-se na questão pessoal. Mais uma vez tentou encontrar uma nova falha...

      Você pode achar-me um convencido e achar que eu tenho a mania de saber tudo, comentando todas as matérias que aparecem, mas há uma coisa que você poderá reparar facilmente. Ainda ninguém conseguiu rebater nada do que eu digo. Logo, se ninguém consegue...será que é por eu ter sempre razão?

      O meu problema não é ter falta de auto-estima. É ter demasiada. :)

      Eliminar
    12. Palminhas para o Francisco que é o suprassuno da sabedoria e bom senso, e que não tem ninguém (imagine-se) que tenha conseguido rebater o que diz. Isso não é ter auto estima em demasia, é só ser mais um tontinho auto convencido . Quando crescer e amadurecer , isso passa tudo...Se realmente for inteligente,porque se não for, continuará igual, o que não deixa de ser uma pena, mas é só para si, porque quando a auto estima é em demasia, deixa de ter graça e passa a ser representativo de narcisismo, vulgo burrice!

      Não sou nenhum dos anónimos.

      Eliminar
    13. Anónimo (21:54),

      Por momentos julguei (imagine-se) que alguém tivesse aceitado o meu desafio e viesse aqui rebater algum argumento meu, mas não, foi pura ilusão, tudo não passou de mais um comentário invejoso e idiota...(suspiros)...

      (Ps: Você disse que não era nenhum dos anónimos e tem razão. Para já conseguiu ser o pior anónimos de todos...)

      Eliminar
  5. Entendo, é uma situaçao dificil de gerir.

    ResponderEliminar
  6. sou só eu que noto uma ponta de despeito aí atrás dessa "indignação" toda?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Da minha parte, eu não noto nada disso.
      Há pessoas que parece que gostam de sofrer. Há outras que não conseguem sair de uma situação que as faz sofrer. E outras-que tentam de tudo para se convencer que as coisas vão mudar.

      Eliminar
  7. Tenho receio que este seja o segredo da minha melhor amiga daqui a uns anos..

    ResponderEliminar
  8. Só invejosas... Quando gostamos de um amigo/amiga não deixamos de conviver com ele/ela devido as pessoas com quem convivem... Se assim fosse ninguém estava com ninguém... Pois toda a gente tem alguém de quem não se gosta... Tanta tanta inveja... E pequenez...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Querer o bem dos nossos amigos, sentir que não estão a ser tratados como merecem e não querer compactuar com isso é ser invejoso? Uma coisa é eu saber que uma amiga é super feliz com o namorado mas não gostar dele por motivos pessoais/de encaixe (acontece!) outra é eu não gostar do namorado de uma amiga porque ele lhe bate, a humilha, a trata mal de alguma forma. Em nenhuma das situações há inveja.

      Eliminar
    2. Ahahah tanta inveja...de ser maltratada e cega para nao ver isso e burra para compactuar com isso? Temos uma inveja enoooooorme

      Eliminar
    3. Deve ser o mesmo comentador/ a das 11:21 ou então da mesma família. Mas alguma vez vou ao casamento de quem n gosto? A minha amiga cai casar com um "bardamerda" e eu vou cheia de sorrisos e ainda pagar para ver? Uma coisa é n gostar do noivo outra é saber que maltrata a minha amiga ou vice-versa.
      A título de ex: sou louca pelo filho da minha melhor amiga e n fui ao batizado dele e continuo a dar-me bem com ela, simplesmente lhe disse que tinha deixado de ir a esse tipo de eventos.

      Eliminar
  9. Isto não devia ser um segredo, devias de lhe dizer directamente sem rodeios.
    Euà muitos anos deixei de ir a casamentos e baptizados, são uma chatice,bahh...

    ResponderEliminar
  10. Se fosses amiga dela, ías ao casamento e continuavas lá para o que quer que acontecesse no futuro. Podes não concordar, mas não se faz isso a uma amiga, não apoias o casamento, mas n podes deixar de a apoiar a ela. Se a achas idiota, ela não precisa de amigas como tu. E sim, concordo com o DZ...parece haver aí uma "comichão" qualquer.

    ResponderEliminar
  11. Ela é poesia, ele não sabe ler.

    Nuno

    ResponderEliminar
  12. Tive uma amiga, tive porque nós fomos separando, que casou com um homem que lhe fez até assumir um acidente mortal quando era ele o condutor, que a maltratava mas sem o qual ela não conseguia viver.
    Os pais dela não foram ao casamento,eu fui, no dia do casamento, depois de tantas vezes lhe perguntar ao longo do tempo se era mesmo o que ela queria fazer disse-lhe que se quisesse voltar atrás eu estava lá para a apoiar, os pais estavam la, assim como todos os amigos. Se decidisse continuar ia ter o meu apoio.
    Casou há mais de 15 anos e continua casada. A vida separou-nos mas no momento em que ela precisava de uma amiga eu estava lá. Se fosse hoje faria o mesmo.

    ResponderEliminar
  13. Eu tenho uma opinião formada sobre os casamentos. Para mim não é o casamento que vai ditar que o casal seja feliz para sempre como nos contos de fadas, até muito pelo contrário, conheço casos em que os casais foram felizes até casarem, depois do casamento, deu em separação! Mas compreendo perfeitamente que para muita gente o casamento é importante, eu por exemplo, com o balúrdio que muitos gastam num casamento, ia passar umas boas férias a um destino de sonho! Mas lá está, cada um pensa da maneira que quiser!

    ResponderEliminar