quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Segredo.14.17


17 comentários:

  1. Respostas
    1. A autora do segredo disse exactamente a mesma coisa que você acabou de dizer mas com palavras ligeiramente diferentes.

      Eliminar
    2. Francisco! Para si agarrar-se a um tronco ou saltar para um barco, é a mesma coisa.

      Eliminar
    3. O Francisco tem razão aqui, autora dizer prendeu-me a vida, esta a dizer que por causa do filho tem vida novamente.

      Comparação sem sentido a sua anónimo.

      Eliminar
    4. Anónimo (00:18), obrigado pela defesa que decidiu fazer-me. Mas acredito que a comparação feita pelo Anónimo (10:44) fosse involuntária e deva fazer todo o sentido para pessoas como ele(a). Estamos quase no Natal, vamos lá perdoar isso tudo... :)

      Eliminar
  2. E que assim continue... Uma oportunidade única de partilhar.

    ResponderEliminar
  3. Tão bom :)
    Que assim seja sempre, tem uma luz maior a guiar a sua vida!A minha ainda não nasceu, mas para mim já é tudo, ainda sem lhe poder tocar o meu amor por ela já é imenso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E antes não tinha uma "luz maior" a guiar a sua vida? Não era importante por si só? É preciso um filho para dar sentido à sua existência? Não entendo esta forma de pensar.

      Eliminar
    2. Anónimo (20:46), é muito fácil de entender. Não é preciso um filho para dar sentido à nossa existência...mas com a chegada de um filho a nossa existência ganha mais e maior sentido.

      Eliminar
    3. Anon 20:46

      pelos vistos nao. O autor escreveu claramente que o filho o agarrou á vida.
      Há pessoas que necessitam de amar e cuidar de outro para se sentirem realizadas. Nao ha mal nenhum nisso.

      Eliminar
    4. Eu acho que é negativo para a própria pessoa. O filho vai crescer, não vai cuidar dele para sempre, pelo menos da maneira que cuida enquanto bebé/criança. É por causa dessa tendência de olhar os filhos como a única razão da sua vida que muitas mães (e pais, mas sobretudo mães) se tornam controladoras e tentam viver através dos filhos.

      Eliminar
    5. Anónimo das 20:46, sou o anónimo das 17:43, sim eu tenho luz, muita luz na minha vida, tanto que brilhei no escuro, vocês própria viu! Mas como lhe disse, já era feliz, com a chegada da minha filha a minha felicidade aumentou. E sim ela é a minha luz maior :)

      Eliminar
    6. Entendo o pensamento do anónimo das 12h58.
      Temos de ter noção que criamos os nossos filhos para eles seguirem o seu rumo. Temos de lhes dar as raízes mas também as asas. Os nossos pais sofreram certamente muito com o nosso crescimento/independência/erros, mas tivemos de seguir o nosso rumo.
      E é verdade que conheço casos em que mães que vivem, ou viveram demasiado essa dependência de/pelos filhos tornaram certas vivências pouco positivas (crianças que não podem ir a lado nenhum sem a presença da mãe, namoradas que nunca servem, tentativas de controlar/manipular a vida de casal).
      Mas que um filho nos muda a vida para sempre é verdade. E também é verdade que o meu filho é a melhor coisa do meu mundo. Um amor sem fim (mesmo que às vezes me canse e me tire do sério).

      Eliminar
  4. Ainda bem, muitas felicidades!!! ^^

    ResponderEliminar
  5. Cuidado apenas que ele não seja uma ancôra, porque quando sair de casa afunda outra vez.
    Felicidades

    ResponderEliminar