quinta-feira, 3 de maio de 2018

Segredo.03.14


7 comentários:

  1. Chama-se a isso crescer...

    ...e seguramente que aquele que achou isso irá acabar por experimentar diferentes tipos de drogas mais dia menos dia e quando o fizer aposto que nenhum de vós irá sentir saudades dele. Um amigo verdadeiro tenta sempre ajudar os amigos a fugir da droga, não a procurá-la...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eles forem amigos tb o podem tentar fazer ver os riscos que tal atitude terá na vida dele.

      Os verdadeiros amigos tb não abandonam os amigos só porque tiveram uma ideia ou atitude parva.

      E não terão saudades dele? A sério?! Dos melhores amigos que tive infelizmente entraram no mundo da droga e perderam-se. Tenho muitas saudades das pessoas que foram, sim, muita tristeza por não terem saído atempadamente e muito orgulho por quem saiu.
      Esses meus amigos tb não me largaram qd eu tive problemas e precisei deles, de facto sempre me disseram para não me meter nas drogas mas porque já sabiam as consequências do que usavam. O amigo do (a) autor(a) não tem provavelmente a noção das consequências possíveis. Isso não faz dele um mau amigo ou má pessoa.

      Eliminar
    2. Anónimo(16:13), ok...admito que não escolhi a melhor forma de traduzir o meu pensamento. Quando disse que apostava que nenhum deles iria sentir saudades do amigo, quis dizer que nenhum ia sentir saudades da má influência que ele exercia no grupo. Os verdadeiros amigos não abandonam os amigos só porque tiveram uma ideia ou atitude parva, isso é verdade, mas lá está, para isso é preciso que eles sejam mesmo amigos verdadeiros, e até ver...podem ser apenas amigos da loucura...

      Mas discordo de si num ponto. Hoje em dia com toda a informação que existe nas escolas, nos hospitais, nas igrejas, nos consultórios médicos, na tv, nos jornais, na net, e ainda há quem não tenha noção das consequências possíveis da droga? Francamente, para isso ser verdade era preciso que o individuo tivesse uma ervilha dentro da cabeça em vez do cérebro. E se isso faz dele um mau amigo? Se ele tiver uma má influência na vida dos colegas, faz sim. Há uma expressão que diz: "Diz-me com quem andas e eu dir-te-ei quem és", logo, a partir dela já poderá tirar as suas próprias conclusões...

      Eliminar
    3. O Francisco conseguiu até tecer uma avaliação sobre mim. Afinal se eu ando com drogados... A questão é que eu nunca fumei (nem tabaco ou canabis) e sou completamente contra o uso de drogas. Principalmente pelo que vi na vida dos meus amigos.

      Os meus amigos qd entraram na droga não tinham noção das consequências. Hoje em dia tem movimentos que querem legalizar a canabis porque supostamente é natural e não faz mal (mesmo que estudos científicos provem o oposto). Acha mesmo que sabem? Acha que a informação despersonalizada dá às pessoas a real imagem do consumo de drogas e do impacto que tem na maioria das pessoas? Eu penso que não. Porque a imagem de uma pessoa agarrada a drogas pesadas deixa-nos passado umas horas e quando se acredita que a) somos super-heróis que nunca vamos ficar viciados B) acredita-se que as drogas leves não fazem mal nenhum .. . Bem, tem-se um grave problema. E zero ligação ou noção das consequências que tomar drogas terá na nossa vida, mesmo as drogas leves.

      Eliminar
    4. Anónimo(12:42), quem anda com drogados...terá propensão para também experimentar a droga ou pelo menos achar que o seu consumo é uma opção de vida muito natural. Mas lá está, não há regra sem excepção...

      Muito francamente acho que a juventude de hoje tem noção das consequências e sabem muito bem o impacto que o seu consumo vai ter nas suas vidas, só que...não estão nada importados com isso. A malta mais nova continua a achar que o mundo vai acabar amanhã e, já por isso, é preciso experimentar tudo, viver todas as loucuras e cometer todo o género de abusos antes que o mundo dê o estoiro final...

      Eliminar
  2. Experimentar drogas é crescer? Péssimo conselho meu caro....experimentar drogas é ser incapaz de usufruir dos prazeres da realidade concreta.

    ResponderEliminar