quinta-feira, 3 de maio de 2018

Segredo.03.15


15 comentários:

  1. Sabes que a vida dá muitas voltas não sabes?

    ResponderEliminar
  2. Ena, achas-te mesmo assim tão boa? Insubstituível? Cuidadinho...

    ResponderEliminar
  3. Se calhar, devias pensar em deixá-lo já. Credo. Se eu algum dia iria querer estar ao lado de alguém que pensa que me está a fazer um grande favor...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. e se calhar os seus conselhos deviam ser de se encontrar uma solução e não a fuga.

      Eliminar
    2. Mas qual solução? :)
      Repetindo-me, eu não iria querer estar ao lado de alguém que pensa que me está a fazer um grande favor, porque eu preciso mais dele do que o contrário. Não conheço a autora, não conheço as motivações, nem tão pouco sei mais do que aquilo que aqui li, mas o segredo em si, a forma como está escrito, faz-me crer que quem o escreveu não gosta assim tanto da pessoa que tem ao lado. Se gostasse, esta questão não se colocaria sequer.

      Portanto, para mim, e na minha opinião enquanto mera leitora do segredo em questão, não há grande solução. E sim, deixá-lo era o maior favor que a autora lhe poderia fazer. Deixá-lo livre para alguém que não viva convencida de que o tem na mão. Esse não é um sentimento bonito.

      Eliminar
    3. Acho que, no entender do autor ou autora do segredo, não se trata de achar-se insubstituível, maravilhoso e fantástico. Para mim está tudo na palavrinha "ÚTIL". Ninguém quer ser "útil" numa relação, que eu saiba. Todos queremos amar e ser amados em retorno. Não queremos ser "úteis." Útil é um chapéu de chuva. Eu também já me senti assim numa relação antes, porque ele apesar de ser um querido, também era um atado do caraças e acabei por perder a paciência e terminar. Agora digam lá que também me acho o máximo e insubstituível e melhor (a minha preferida) que sou FRESCA...!!!!

      Eliminar
  4. E para si, nenhum cenário futuro poderá contemplar...a continuidade da vossa vida a dois?

    ResponderEliminar
  5. Por parte dele existem muitos motivos,falta de crédito ,doença ou falta de orientação.

    ResponderEliminar
  6. não saberemos se não vais ter uma surpresa...
    mas sabemos que essa relação é uma bela porcaria...

    ResponderEliminar
  7. A partilha de um segredo aqui pode ser muito ingrata, as pessoas são julgadas sem que toda a história seja conhecida.
    Eu compreendo @ autor(a). Estou numa relação em que eu também sou mais "útil" (embora não seja a palavra apropriada). Sim, a família dele é muito mais endinheirada. Mas eu sou mais independente e desenrascada. Ele depende mais de mim... a começar por esta dependência emocional, de me tratar quase como se fosse a mãezinha. E não percebe que a necessidade de estar colado e de eu precisar orientar tudo, decidir tudo, pensar em tudo no dia a dia me sufoca e desgasta.

    Estamos num momento difícil da relação, mas sei que se o caminho futuro vier a ser a separação, será de mim que terá de partir essa decisão. E serei sempre a má da fita, porque ele é o bom rapaz que gosta muito de mim e eu é que, supostamente, não dou valor.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anónimo(22:32), se a identidade da pessoa não é revelada, como podemos nós afirmar que ela esteja a ser julgada? Consegue imaginar um tribunal a julgar uma cadeira vazia? Quando muito, aqui podemos julgar ideias, pensamentos, acções ou atitudes, nunca pessoas.
      Compreendo que ninguém queira ser "mãezinha" dos outros, nem queira assumir o papel de ser responsável por alguém em vez de contar com a força dele para ultrapassar as dificuldades da vida. É um problema recorrente que afecta muito as famílias muito endinheiradas. Criam os filhos como se estivessem numa redoma de vidro e depois ficam sem defesas e acabam por precisar de uma mãe a vida toda. Obviamente que se não gostar do rumo que a sua relação está a seguir e quiser sentir outro tipo de emoções na sua vida, vai ter que enfrentar e resolver essa situação. E nunca há uma forma fácil de fazer isso.
      Mas gostei mais do que você disse. "Se o caminho futuro vier a ser a separação"...é mais honesto porque admite a possibilidade de continuarem juntos e, só por isso, já soa muito melhor...

      Eliminar
    2. Concordo com o anónimo. A pessoa não disse que não gostava, ou que se ia separar.
      Mas parece que termos a noção e dize-lo/escreve-lo (que o outro é mais dependente, neste caso) já faz da pessoa uma má pessoa.

      Eliminar
    3. É exactamente essa a minha situação. Ele tem mais capacidade financeira, mas depende de mim para tudo. É extremamente cansativo e desgastante. E foi uma profunda desilusão conhecer mais a fundo esta pessoa e perceber como ele é de facto. Não somos compatíveis, só isso. Certamente ele encontrará alguém que o fará feliz, mas não serei eu. Aproveito para responder a quem perguntou lá atrás: não, não vejo qualquer futuro com ele. É apenas uma questão de reorganização, para que cada um de nós siga a sua vida separadamente. Mas não é fácil. Há amizade. E que eu saiba as separações nunca o são.

      Eliminar
  8. Empoderamento feminino é isso!

    Girl Power

    ResponderEliminar