quinta-feira, 10 de maio de 2018

Segredo.10.15


22 comentários:

  1. Não sei o que vive nem aquilo por que passa, mas parece-me um desperdício desistir de alguém que consegue chegar a tanto!

    ResponderEliminar
  2. Você casou com o seu marido quando sabia que ele tinha a doença e sabia também que tem uma componente hereditária por isso sabia o enorme risco que havia do seu filho também ser. A partir daí, não sei do que se queixa. Ok, deve ser dificil às vezes. Mas aceitou as coisas e tem que continuar a aceitar. Eles não têm culpa nenhuma...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai a autora não tem razão para se queixar?!... Está certo, deve ser fácil a vida dela...
      É comer e calar. Menos, ok?!

      Eliminar
    2. A autora não se está a queixar, está a desabafar. Existe uma diferença muito grande... E às vezes tudo o que precisamos é apenas isso- desabafar.
      CF*

      Eliminar
    3. Que falta de empatia que vai por aqui. Lá porque nós tomamos decisões não quer dizer que não possamos desabafar. Ora agora. -.- mais sensibilidade, por favor

      Eliminar
    4. Está-se a queixar desde o momento que diz que quer desistir.
      Eu por acaso disse que a vida era fácil, não pois não?
      Senão tem razão, que deixe o marido e o filho e que vá à vidinha dela....
      Eu tenho sensibilidade. Não me impede de dizer como as coisas são e que tem que ser forte.

      Eliminar
    5. Há ainda a parte de “só se descobriu que X tinha Asperger” depois de muita coisa ter sido feita. Ou se calhar ainda há quem ache que as pessoas com Asperger andam por aí a fazer caretas e insultar. Há muitos níveis dessa condição, por vezes imperceptíveis durante muito tempo.

      Eliminar
  3. E se o Messi fosse teu teu pai, teu irmão ou teu filho! Também desistias? Ele tem a mesma doença.

    Nuno

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nuno, o meu filho é o messi dos livros, e o meu marido é o messi dos carros. Apetece desistir, nao quer dizer que o vá fazer...

      Eliminar
    2. Então acredite numa coisa. Se fosse fácil não era para si. Eu tenho uma grande admiração por si, não é fácil. Não desista, eu sei na pele o que foi desistirem de mim e a desilusão...

      Nuno

      Eliminar
    3. O mais difícil Nuno é a falta de empatia no meu marido, situações em que preciso que seja ele a reagir e que nao reage, nao sabe como nem porque raio tem de reagir. Acaba comigo a lhe explicar... o meu filho pequenino é difícil sair de rotina, e os medos estranhos todos que ele tem, como o vento e tudo mais. É difícil ter que o expor a esses medos, ver o terror na cara dele, e aguentar firme. Mas aguento, e tenho aguentado mesmo com vontade em desistir muitas vezes. E Nuno, eu desisto, meto me no quarto, choro, escrevo, grito, passa... e volto a tentar. Nuno, a vida dá tantas voltas, um dia recuperas da dor da desilusão. Nao é impossível.

      Eliminar
  4. uma irmã, um filho doente... ninguem escolhe... já o marido.. foste tu que o escolheste. já conhecendo a tua irmã e sabendo o quanto era dificil.. não entendo essa tua escolha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quem lhe garante que a autora do segredo já sabia da doença do marido quando o conheceu? Ás tantas nem sabia...

      Eliminar
    2. O filho também sabia que havia uma grande probabilidade que tivesse

      Eliminar
  5. eu sei o que isso é. Às vezes também me apetece desistir. Anónimo das 16:13 nem toda a gente é diagnosticada com o Sindrome de Asperger em criança...o Asperger é altamente funcional, e as pessoas antigamente achavam que eram 'manias'. Só soube que o meu marido tinha, depois de o nosso filho ser diagnosticado com a doença. Digamos que é uma 'nova' doença, algures entre o TDAH e o Autismo. este segredo podia ser meu.

    ResponderEliminar
  6. Obrigada, foi exactamente assim, ele tinha uns comportamentos estranhos, mas e das pessoas mais dedicadas que conheço, esforça se muito. Foi diagnósticado depois do meu filho de 3anos ter sido. A minha irmã nunca foi acompanhada, foi e ainda hoje é difícil, foi diagnosticada aos 13anos. Puxo pelos 3, as vezes fico esgotada, sinto-me derrotada, apetece desistir sim. Mas nao desisto, eles precisam de mim, e eu preciso deles. Gente é um desabafo e nao um ultimato. Ha quem nao tenha problemas de saude nenhuns e acabam por desistir porque assim querem e porque é o caminho mais fácil.
    Autora do desabafo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho uma colega com quem simpatizo bastante mas que é muito comentada nos meus círculos por comportamentos excessivos blá blá blá, e eu, apenas só por simpatizar com ela, defendia-a sempre e cortava as conversas. Há dias sentou-se na minha mesa para almoçar e desabafou. O filho, que começou por ser só um filho de 13 anos problemático, afinal é asperger. E eu, mãe de um filho, filha de pais, irmã de irmãs e tia de sobrinhos, todos saudáveis, não consegui conter as lágrimas e às tantas era ela a animar-me.
      O casamento acabou, o miúdo está mais estável e ela, aquilo a que os outros chamam de comportamentos excessivos, é ela, a levar a vida para a frente. Quem não consegue perceber o seu desabafo não consegue perceber nada de nada. Força,levar a vida para a frente não é para para qualquer um.

      Eliminar
    2. Se antes não lhe incomodava o seu marido porque é que agora incomoda?
      Sabendo que muitos consideram que não é propriamente uma doença mas apenas uma diferença de comportamento

      Eliminar
    3. Força minha querida! :)

      Eliminar
    4. Deixo-lhe uma palavra amiga com a certeza que esta anónima hoje rezará por si e pela sua família.

      Fique também com a certeza que apesar de todo o desalento que sente, não está sozinha nesse caminho tortuoso ... muitos de nós vivemos vidas com muita dor, mas ainda assim todos temos a opção de ser luz para os outros com a nossa força e persistência ... ou de ser transparente para os outros com a nossa desistência.

      Chore muito, desabafe sempre e seja luz, vai ver como outros tantos irão aprender consigo!

      Eliminar
    5. Há um tratamento novo que tem resultados excelentes. Pesquise por protocolo Coimbra ou por "PROTOCOLO COIMBRA - Vitamina D para Esclerose Múltipla e Doenças Autoimunes" no Facebook. Além de depoimentos, eles tem a lista dos médicos que prescrevem o tratamento. Eu sou seguida pelo dr. Miguel Damas (Porto e Lisboa) para uma doenca autoimune e contentissima. As consultas sao um pouco caras, mas o tratamento nem por isso. Este médico é muito simpatico, pode ser que ele consulte os 3 familiares pelo preco de uma consulta. Espero ter ajudado! Boa sorte.

      Eliminar
  7. Entendo que seja difícil, mas não desista daqueles que ama. Pode procurar ajuda. Força e muitas felicidades!!!

    ResponderEliminar