segunda-feira, 18 de junho de 2018

Segredo.18.10


58 comentários:

  1. um Pai com P grande, é feliz sendo um pai presente. Infelizmente há muitos "pais" que acham giro fazer filhos e mostrar que têm filhos... mas estar com eles, dar-lhes atenção, carinho, tudo o que um filho merece, é algo que não lhes agrada muito.E então quando fala em "ser um pai presente está a destruir-me" diz tudo de si, como pessoa, como pai, como homem... conheço tantos assim infelizmente. É triste, principalmente para os filhos que não pediram para nascer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A mim, apenas diz que este homem não nasceu para ser pai. Que não é, de todo, equivalente a ser má pessoa. E talvez ele, tal como a criança, também não tenha pedido para ser pai.

      Eliminar
    2. a criança nao teve escolha, ele teve, chama-se preservativo...

      Eliminar
    3. A melhor resposta que li no shiuu!! 👏👏👏

      Eliminar
  2. Sim, porque ser um pai presente nos dias de hoje é um canal gerador de infelicidade...
    Estamos esclarecidos...

    Já agora, por curiosidade, porque é que quis ser pai? Obrigaram-lhe com uma arma apontada à cabeça ou foi apenas um infeliz acidente?

    ResponderEliminar
  3. Que maior felicidade se pode ter, que ser pi..presente.Ser pai é viver uma outra vida, pelos olhos de um outro ser, o teu filho. Ser pai é ser herói, ser forte, ser digno, honrado, mostrar ao seu pequeno, que diante das adversidades da sua vida, existe um refúgio, um porto seguro, o teu abraço!

    Nuno

    ResponderEliminar
  4. Como te entendo, ter filhos destrói toda a liberdade ... o que não acontece se tiveres muito dinheiro.
    "Sim para mim o dinheiro é tudo ... quem não o tem é excluído de tudo a que temos direito na vida"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, de facto...quando não há dinheiro há quem tenha a má sorte de ser um pai, mas com dinheiro (muito de preferência) deixamos logo de ter os filhos a chatear e passamos a ser uma carteira ambulante...

      (Quem não o tem é excluído de tudo a que temos direito na vida...hahahahaha, adorei essa! Vê-se logo como a sua vida é pobre...)

      Eliminar
  5. Pois, fazer filhos é bom, tê-los presente é muito difícil.
    (Sem mais comentários)

    ResponderEliminar
  6. Existem ainda pessoas que acham que ter filhos implica continuar a ter o mesmo estilo de vida anterior.... enfim!

    ResponderEliminar
  7. Eu prefiro não ler este segredo à luz de uma interpretação literal das suas palavras, mas antes acreditar que apenas se expressou mal, certo? ...

    De facto, cada vez mais as vidas profissionais e sociais são exigentes e comprometem imenso a vida familiar. Também sei, que abdicar deste lado em prol da vida familiar pode igualmente comprometer a realização pessoal e o bem-estar emocional de qualquer pai. Mas repare, cada etapa dos nossos filhos também exige de maneira diferente da nossa presença (física), pense que se agora precisam muito de si, muito em breve virá outra fase em que poderá folgar-sr um pouco mais ... quer que seja por eles estarem mais crescidos, ou porque consegue uma ajuda extra ... ou até, porque aprendeu a fazer uma melhor gestão do seu tempo.

    Não desanime, os filhos crescem tão rápido ... e um pai, só o é verdadeiramente se for presente, se não tem outro nome qualquer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ai pois coitadinha, ja' esquecemos que o filho deve espezinhar o pai e o pai deve ser escravo do filho. Toda a gente sabe que o pai passa a ter todas as mesmas aspirações, sonhos e vontades do filho e tem que deixar de existir como homem que é...
      Haja paciência.

      Eliminar
  8. Gostava de perceber em que é que os seus filhos o impedem de ser feliz...? O que é que teve de abdicar para ser um pai presente?

    Ou as crianças são uma desculpa esfarrapada para a sua incapacidade de gerir tudo em conjunto?

    ResponderEliminar
  9. O problema aqui e' que ser um pai presente deveria ser o seu sinonimo de felicidade.
    Para que e' que foi pai se acha que ser um pai ausente e' que e' bom ?

    Se nao tem vocacao para a parentalidade tivesse sido responsavel e usado protecao.

    ResponderEliminar
  10. Entendi este segredo de outra forma. Talvez esteja preso a um relacionamento que não o faz feliz, apenas para poder estar presente para o seu filho.
    Será isso?
    Se assim for, penso que não deveria manter isso e tentar, mesmo separado, ser um pai presente.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente alguém que entendeu o segredo com eu!!!! Pode ser sim um pai presente, separado da mulher. Dá mt mais à criança :-)

      Eliminar
    2. Ser um pai presente nada tem a ver com um relacionamento. Só se ele não quiser a guarda partilhada a 50% e for daqueles que em vez de divorciar da mulher se divorcia dos filhos.

      Eliminar
    3. Quem conta um conto...acrescenta-lhe sempre mais um ponto...

      Eliminar
    4. Completamente de acordo.

      Eliminar
  11. Estes segredos deixam-me triste...
    Coitado do seu filho...

    ResponderEliminar
  12. Não percebo porque criticam logo. A situação pode ser por exemplo de um homem que se apaixonou por outra mulher mas que não se divorcia para estar mais presente. Conheço casos assim, de pessoas que se anulam por não aguentarem a ideia de estar com os filhos menos tempo do que mantivessem casados.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deves ver muitas novelas, só pode!

      Eliminar
  13. Provavelmente o autor teve que abdicar da pessoa que ama sob pena da mãe o impedir de ver a criança, ou pelo menos dificultar imenso essa relação. É comum, infelizmente. Não sei se é isso, mas de for é de facto complicado de gerir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cada tiro, cada melro!!!!!

      Eliminar
    2. Por acaso achei o mesmo que o anónimo das 14:44.

      Eliminar
  14. Também não conseguia, não abdicava da minha liberdade por causa de um filho dão trabalho e estão sempre a fazer birras.
    Eu se fosse a ti pirava-me já, antes que ele cresça. Depois é bem pior porque a vida passa a correr e tu não vives nada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bora lá criar uma criança cheia de problemas mentais porque queremos viver a vida... E não nos responsabilizamos pelos nossos atos

      Eliminar
  15. Eu adoro viajar, praticar desporto, ver tv, fazer voluntariado, ler muito, sair a noite, ir ao cinema sempre que possível. Se tivesse um filho teria que abdicar de fazer tudo isso com a frequência que me deixa feliz. certamente iria sentir-me assim também. O autor do segredo abdicou de coisas que o fazem feliz para poder dedicar esse tempo ao filho, porque ninguém é omnipresente.A maioria dos comentadores não se importa de deixar de fazer outras coisas, mas o autor do segredo importa-se. E acima de tudo, ele afirma que esta a dedicar-se ao filho em vez de se dedicar ao que gosta.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se as pessoas nao querem ter filhos, nao tenham !!
      E' simples, e' daqueles casos em que e' preto no branco. Nao ha meio termo, ou pelo menos nao deveria haver.
      Eu gosto muito de viajar, mas a minha mae ja esta velhota, entao vou abdicando de um prazer para dar mais atencao a ela.O meu amor pela minha mae e' mil vezes maior que qualquer viajem . No caso do autor isso nao se passa, ele fica amargurado porque estar com o filho nao lhe da prazer, so pensa no que nao esta a fazer versus o que esta.

      Eliminar
    2. Se ele se importa que não tivesse filhos. É simplesmente estúpido e egoísta achar que a vida continua igual depois de se ter filhos.

      Mas também só abdica do que gosta quem é incapaz de gerir tudo. Certamente que não terão todo o tempo para tudo mas dá para fazer tudo na mesma. Quem não quer ter essa responsabilidade que não tenha filhos.

      Eliminar
    3. Se tivesse um filho teria de abdicar de tudo isso? Eu tenho dois filhos e nunca tive de abdicar de nada por causa deles. Viajo, pratico desporto, vejo Tv, leio blogues, saio à noite e vou ao cinema sempre que posso e me apetece, e de preferência com a companhia deles. Aquilo que me parece é que esta gente não quer é ter trabalho nenhum. Ponto.

      Eliminar
    4. Pois...viva bem a vida!Quando for velhinha e não tiver ninguém vai morrer sozinha,eu tenho dois filhos porque infelizmente morreu um e depois 7 anos que choramos aquele querido filho,tivemos dificuldades para poder trabalhar os dois mas tudo se venceu,hoje somos idosos os dois,mas somos apoiados,o pai gosta de cultivar o quintal e o filho embora tenha o seu trabalho e de grande responsabilidade,um homem num meio social bonito não se importa de vir ajudar o pai,sujar a roupa,é isto que se chama uma família,já fomos novos,hoje embora estejamos ainda ativos para uma vida de reformados mas há coisas que nos custa fazer e mesmo com dinheiro muitas vezes não há quem o faça.
      Não somos ricos mas temos casas e uma vida sem dividas,mas quem éramos nós sem os nossos filhinhos,sem os nossos netos e bisneta?
      O dinheiro não paga tudo,sim!!!muito bonito essa liberdade,essa independência,mas um dia...um dia...esse dia vem depressa,o tempo voa,ainda me vejo menina,uma adolescente bonita,hoje sou velhota,o tempo voa,voa,e nem o dinheiro faz parar o tempo que me resta,tenho a minha família unida,foi um prazer o ano passado fazer as bodas de ouro e não faltar uma só pessoa,estavam todos menos um que está no céu,mas ele estava presente nos nossos corações,nenhuma viagem,nenhuma amiga nenhum cinema vale um filho,uma família!!!

      Eliminar
    5. Isso de ter os filhos para ter um apoio na velhice é uma grande fantasia, digo eu que convivo diariamente com a solidão de dezenas de idosos. Ter filhos é bom sim, no entanto não é garantida de nada.

      Eliminar
    6. Anónimo(21:28), não se trata de apoio...trata-se acima de tudo de deixar um legado e contribuir para que a raça humana possa continuar a subsistir e evoluir. Se não formos capazes de cumprir esse papel, só andamos no mundo a estorvar quem o cumpre.

      Eliminar
    7. Quem não quer ter filhos anda a estorvar o mundo? Está boa, essa.

      Eliminar
    8. Anónimo(20:01), tão boa quem nem sequer lhe foi possível rebater a ideia...e agora está à espera que apareça alguém mais capacitado que consiga fazê-lo...

      Eliminar
    9. Ai ai, senhor, a avaliar as capacidades intelectuais de outrém por um comentário de duas linhas.

      Começando por "ser capaz de cumprir " o papel da parentalidade. Existem muitas pessoas que dariam bons pais, mas não o querem ser, tal como abundam aquelas que sempre desejaram ter filhos mas são mães e pais péssimos. Não vejo que conclusão se possa tirar daí.

      Há muito mais na vida que fazer e criar filhos, e mais formas de contribuir para a sociedade. A título de exemplo, conheço académicos brilhantes que nunca sentiram o apelo da parentalidade, mas que produzem conhecimento de que todos beneficiamos. Conheço pais que a única coisa relevante que fizeram na vida foi criar filhos. Não considero que uns nem outros estejam a estorvar seja quem for.

      Eliminar
  16. Então mas... A tua felicidade não depende também de teres o teu filho presente na tua vida?!
    Ou haverá algo mais importante que ele? Se sim, o quê?

    O segredo é demasiado vago. Assim provavelmente sonseras julgado. Deverias dar um update :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Talvez a liberdade para fazer o que lhe apetecer seja mais importante, não?

      Eliminar
    2. Anon. 17:05

      Ele teve a liberdade de fazer um filho, essa escolha e' uma liberdade.

      Eliminar
    3. A liberdade para fazer o que lhe apetecer...do tipo...fazer um filho sem ser obrigado a ser um pai presente, suponho?

      Eliminar
    4. Anónimo 17:05
      Não me parece que ele tenha sido violado...
      Não podemos fazer o que nos apetece, e achar que não temos responsabilidade sobre as nossas ações.

      Deveria ele fazer o quê?! Meter o puto para a adoção? Deixá-lo na mãe e nunca mais aparecer ou aparecer aonde vez em quando?

      Isto é tudo muito bonito, mas o filho é um ser humano, e as suas necessidades deveriam vir acima das dele, porque a criança não pediu para nascer.
      Por isso é que disse que ele deveria dar mais informações.

      Ass. Anónimo 15:43

      Eliminar
  17. compreendo que hajam pessoas que sao felizes sem filhos, mas isso é simples. Não tenham!!! porque ter e queixar-se depois então já são dois infelizes: o pai e o filho. pensem antes de fazer filhos, nem todos nascem para serem pais, há muitos que nascem pra serem solteiros e sem responsabilidades a vida toda. Agora que tem um filho... responsabilize-se!

    ResponderEliminar
  18. Fez o filho, agora tem as suas reponsabilidades, uma criança não pede para vir ao mundo. Tem gente que tem filhos e quer levar uma vida como se não tivesse.

    ResponderEliminar
  19. Ai esta gentinha toda aqui, parece que ser pai tem que ser logo ser a maior felicidade do mundo por si so'! Haja paciência! Mete-me nojo!
    Parecem esquecer-se que os pais e mães são seres UNICOS, individuos, SERES HUMANOS, com aspirações, sonhos, vontade etc, e não escravos duma terceira pessoa, seja essa pessoa o filho ou filha!
    Diluem-se todos nos filhos-reis que depois estranham que as pessoas não consigam ser felizes a 100% e sobretudo depois dos filhos sairem de casa!
    A sério, a vossa vida mete-me do' si a vossa felicidade se resume a ser pai ou mãe..... alias, a maioria dessa gentinha esquece-se mesmo de ser um casal, esquecendo a outra parte, porque filho é rei e tem que ter tudo a 100%.

    Caro autor, tente encontrar um compromisso ou uma solução. Ser pai ausente não é o ideal, ser pai presente e infeliz também não é! Visto não ter mais detalhes, impossivel de sugerir alternativas ou soluções.
    Mas tem que encontrar, e mande passear os que aqui criticam nas suas vidinhas falsamente perfeitas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "a maioria", "vocês", "filhos reis"... O senhor é omnipresente em casa de todos os comentadores e sabe como é que é a vida em casa de todas as pessoas ?? Parabéns !! Quer um biscoito?

      Na realidade está provavelmente a milhas de saber qual a realidade da vida das pessoas.

      E ser um pai presente não é abdicar de ser pessoa, não é abdicar de fazer o que se gosta ou de ter momentos para si. É assumir a responsabilidade da escolha que se fez. Ponto. Fugir disso é ser cobardolas.
      Tenho más noticias para si se não percebe a diferença entre gerir o tempo para conciliar tudo vs abdicar da sua vida pelos filhos. Se for como o anónimo ali de cima que acha os miúdos o pior do mundo e que o pai devia abandonar o filho então não tenham miúdos. Simples.

      Eliminar
    2. Amigo, se lhe mete nojo...vá à sanita e vomite à sua vontade, mas evite fazê-lo aqui por favor.

      Eliminar
  20. Essa do "pai presente" parece implicar que teve de abdicar de um hobby que ama ou de uma profissão que iria exigir a sua ausência. Não o faça. O tempo que passar com o seu filho deve ser tempo de qualidade e não por obrigação, como se fosse um frete. Conheço casais que imigraram e os filhos ficaram com os avós. Vão morrer por causa disso?! Claro que nao!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A solução para sermos pais e pessoas realizadas é delegar as nossas responsabilidades aos outros? Fazemos filhos para depois os entregar a quem os quiser aturar, enquanto nós vamos seguir a nossa vida? E não acha que isso condiciona a vida dos filhos?

      Cada um é livre de fazer o que bem entender com a sua vida, mas se é para ter filhos e depois delegar as funções de pais, mais vale estar quietinho.

      Eliminar
    2. o autor do segredo deve partilhar as tarefas com a mulher, logo pode não ter toda a disponibilidade para grandes projetos de trabalho. É a vida! Se quer investir na sua carreira, é fácil, não sobrecarregue a sua esposa ou familiares e contrate uma empregada. Assunto resolvido!

      Eliminar
    3. E é para isto que as pessoas têm filhos... Para os avós cuidarem... :D
      Está solucionado o problema, deixe o.filho com a mãe ou os avós e faça o que lhe apetecer.
      (Ironia)

      Eliminar
    4. Eu fui criada pela minha avó. Para mim a minha avó é a minha mãe e os meus pais biológicos podem ir morrer longe.

      Eliminar
    5. Os meus pais foram desses que emigraram e deixaram os filhos para trás. Não temos relação nenhuma e não os vejo como meus pais.

      Eliminar
  21. Nao me diga que esta apaixonado por outra pessoa?! Vá ser feliz. Como é que quer ensinar o seu filho a ser feliz e a lutar por aquilo em que acredita se vocé nao o faz?! Esses sacrificios nao compensam :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agora ate ja existe a custodia partilhada, ele pode ser presente e viver com a nova parceira. Acho que a polemica deste segredo tem a ver com a total dissociacao que o autorfaz entre amar um filho e sentir felicidade. E' como dizer;Eu gosto de carros, oscarros sao a fonte da minha felicidade sou feliz a olhar para carros, mas sou infeliz a olhar para o meu filho.
      Quem diz carros diz outra coisa ou outra pessoa qualquer.
      Por isso e' que e' tao chocante.

      Eliminar
  22. Conheço alguns casos de pessoas que para serem pais presentes abdicam da sua vida pessoal. Um mau relacionamento com os ex-companheiros que dificultam o contacto com os miúdos, em articulação com o tempo para trabalhar,fazem com que os dias não cheguem para tudo. Colocando os filhos como prioridade, que acho que é o que faz sentido, deixa de ter tempo para os outras coisas que o fazem feliz. Daí o "abdicar da felicidade".

    Eu entendi assim.

    ResponderEliminar