segunda-feira, 23 de julho de 2018

Segredo.23.10


35 comentários:

  1. Se não ganhou ainda essa coragem...se calhar é porque, no fundo, reconhece que as decisões dos seus pais são muito mais acertadas e benéficas para a sua vida futura, do que propriamente as suas...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. apanha mas é juízo, pode ser que ainda vás a tempo.

      Eliminar
    2. Parece castigo, tem que aparecer-me sempre um(a) pobre triste pelo caminho...

      Eliminar
    3. Certas ou erradas a decisão deve ser sempre do próprio.
      Os bons pais ensinam os filhos a fazer o próprio caminho, a analisar os prós e os contras e deixam os filhos cometerem erros, aprender e recomeçar. Estão do lado dos filhos para apoiar as quedas e a incentivar que lutem pelo seu melhor.

      Um pai que queira viver a vida pelo filho e imponha um caminho e as suas vontades é, na minha opinião, um péssimo pai, controlador e mau exemplo.

      Eu tive colegas com pais como o segundo exemplo. São pessoas frustradas e zangadas com a vida. Uma decidiu (aos 30) tomar a vida nas suas mãos e mudar de área para fazer o que gosta. Se a ouvir falar, vai perceber que odeia tudo o que os pais a obrigaram a fazer e não reconhece nada de bom no percurso que a obrigaram a fazer: "seguir medicina por imposição.

      Eliminar
    4. nem triste nem pobre, caríssimo.
      já você... dono da razão, não é?

      só que não.

      Eliminar
    5. Não é bem assim Francisco, as vezes não conseguem falar, com medo da reacção dos pais, por saberem que não vão concordar, e não porque acham que as escolhas dos pais é a mais acertada. Não sei onde foi buscar isso. Por vezes os pais querem que os filhos vivam os sonhos deles, e vez de deixarem os filhos viverem os deles em paz.

      Eliminar
    6. Anónimo(00:01), sim também pode ser isso...e já por isso iniciei o meu comentário dizendo "se calhar". Eu apenas lancei uma hipótese e você agora quis lançar outra, logo, chamo a isso ter uma discussão saudável... :)

      Mas continuo a precisar de acreditar que, ainda que muitas vezes não escolhem a melhor forma de o demonstrar, a maioria dos pais desejam sempre o melhor para a vida dos seus filhos.

      Eliminar
  2. Não deixes... vais ficar frustrado(a) o resto da vida...

    ResponderEliminar
  3. Escreva o que eles querem e escreva o que você quer, depois compare e veja as vantagem. Se eles estiverem a contribuir monetariamente ...faça reflexão com os pés bem assentes na terra.

    ResponderEliminar
  4. Estou na mesma situação que tu. Tenho 21 anos, estou a um ano de acabar um curso que fui obrigada a tirar, nunca namorei porque os meus pais nunca me deixaram aproximar de rapazes e raramente saio com as minhas amigas ( e quando saio tenho que pedir com muita antecedência, não posso sair durante muito tempo, e à noite nem pensar). Sempre que estou sozinha, tenho que estar constantemente a enviar mensagens à minha mãe a dizer onde estou,se já comi, quando volto para casa. Exigem que eu lhes mostre todas as mensagens que envio e têm acesso à conta de todas as minhas redes sociais (sou bastante inativa nelas por causa disso mesmo). Até já chegaram a exigir que eu lhes mostrasse os emails que eu escrevi para professores antes de enviar. E isto são só alguns exemplos, os mais levezinhos,porque o controlo também passa por aquilo que como, quanto peso, o que visto, a forma como me maquilho, quanto tempo durmo,...
    Os meus pais não confiam em mim para tomar decisões, tomam todas as decisões por mim como se eu ainda fosse uma criança sem consciência. Se bem que eu acho que não é por acharem que eu sou uma criança, é por acharem que eu lhes pertenço, como se fosse sua propriedade. De cada vez que protesto,dizem sempre que são os meus pais e que tudo o que tenho é à conta deles, por isso têm voto na matéria. Sinto que, mesmo quando eu for independente financeiramente, eles vão querer continuar a decidir por mim porque acham que,como filha,tenho que me submeter à vontade deles.
    Tenho plena consciência que estou a viver numa situação tóxica e a desperdiçar a minha vida, mas é dificil sair desta situação quando ninguém à tua volta te apoia. A minha família toda educa os filhos do mesmo modo, os vizinhos acham que eu é que sou mal educada (porque, infelizmente,já perdi a paciência e cheguei a gritar com os meus pais), até os psicólogos na televisão dizem que os jovens hoje em dia estão descontrolados e que os pais têm que ser mais rigidos (e, como é obvio, os meus pais vêem este tipo de programas, o que agrava ainda mais as coisas).
    Partilhei isto aqui porque sei o quanto os comentadores deste blog podem ser injustos com quem partilha os segredos e, muitas vezes, julgam sem conhecimento de causa. Quero que o anonimo deste segredo saiba que não está sozinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wow. Que sufoco que deve ser! :/ De qualquer das formas, depois de teres a tua independência financeira, o caso deve mudar um pouco de figura. Não estou a dizer que vais deitar os teus pais para trás das costas mas nessa altura vais poder impor mais a tua vontade. Até lá, boa sorte e paciência é o que te desejo.

      Eliminar
    2. Fico triste que estejas a passar por essa situação. Tenho um filho da tua idade e sou a primeira a incentiva-lo a tomar decisões na sua vida e assumi-las.Mesmo o mais novo que tem 16 anos deixo-o tomar as decisões e tento ao máximo confiar neles. Fico muito triste que certos pais se metam assim na vida dos filhos.
      Mas não penses que não sei o que é isso. A minha mãe era uma pessoa que se tentava meter em tudo mas corria sempre mal porque sempre lhe fiz frente. Chegava ao ponto de me mexer nas gavetas e nas carteiras, coisa que eu nunca fiz aos meus filhos.
      Tens que mudar o rumo da tua vida.
      Desejo-te boa sorte e muita força.
      ES

      Eliminar
    3. CREDO! Credo!!
      Alguém que interne os teus pais, antes que fiques tu com um esgotamento. Epah, desculpa, mas só me ocorre dizer isto.
      Muita força e paciência tens tido tu, rapariga!...
      Desculpem, mas que raio de "pais" se sentem Bem a Sugar a vida dum(a) filho/a desta maneira?!
      Já tenho ouvido e lido muita coisa, sei de casos de pais/tutores que sufocam os filhos/sobrinhos/wtv, mas, porra... Um caso grave como o teu, de prisão/clausura autêntica, desconhecia!
      Estou chocada.
      Muita força para ti! Não sei que mais possa dizer...

      Ah, afinal tenho algo a acrescentar: "Francisco o Pensador", leia o testemunho desta jovem! Pode ser que se lhe faça alguma luz aí dentro desse cérebro de pai-sabichão... bah.

      Eliminar
    4. Há pais que se sentem bem em fazê-lo, o Francisco provavelmente é um deles.

      Eliminar
    5. https://en.wikipedia.org/wiki/Helicopter_parent
      https://afineparent.com/be-positive/helicopter-parent.html

      Eliminar
    6. Os teus pais deviam ir a um psiquiatra. AsAP!!

      Eliminar
    7. Anónimo(12:51), lamento ter conhecido a sua história e lamento mais ainda que tenha de aturar o meu clube de fãs. Sou a pessoa menos indicada para dar conselhos aos outros sobre educação porque, primeiro, sempre tive muita sorte com os meus filhos e eles nunca me deram muito que fazer, e segundo, porque a minha experiência como "filho" está muito longe de ter conhecido uma história idêntica à sua, logo, desconheço o que é estar na sua pele. Ainda assim, sei de algumas coisas que você poderia fazer sem ter que entrar em confronto com os seus pais.

      1º - Na minha juventude namorei muitas raparigas e todas elas estavam proibidas de se aproximarem dos rapazes. Alguma delas até me confessaram que o facto de estarem proibidas de o fazer é que tornava tudo mais interessante. Para bom entendedor meia palavra basta. Com 21 anos está com medo de namorar? Então vai fazê-lo quando? quando os seus pais morrerem?

      2º - Sempre que está sozinha, tem que estar constantemente a enviar mensagens à sua mãe, a dizer onde está,se já comeu, quando volta para casa, etc, e sabe porque razão isso acontece? Porque tem um telemóvel...
      Com franqueza, se for para ser controlada e anulada dessa forma, para quê que quer um telemóvel? Faça um protesto e durante um mês deixe sempre o telemóvel em casa, explicando aos seus pais as razões desse procedimento. Quando voltar a usá-lo e eles voltarem a controlá-la, volta a parar outro mês. Se eles fizerem ameaças ou forem demasiado "duros" com você, diga que a continuar assim, vai deixar de usar telemóvel definitivamente. Se eles forem tão controladores como você diz que são, ficarão aterrorizados com essa possibilidade.

      Em relação à suas contas de redes sociais, o procedimento é um pouco diferente. Se você está inativa, porque mantém essas contas? Peça ajuda aos seus pais e pergunte-lhes como deve fazer para apagar as suas contas e faça isso à frente deles. Se eles alegarem que é uma estupidez fazer isso, diga que mais estúpido é ter uma conta e não fazer uso dela.

      Para já, essas são as pequenas coisas que você pode fazer. É melhor fazer pouco de cada vez para que o impacto também não seja demasiado profundo. Faça essas mudanças devagar, sem ser demasiado brusca, para que os seus pais percebam que algo está a mudar, sem no entanto ser o fim do mundo, e que a filha deles está a crescer. À medida que você fizer estas conquistas, vai sentir-se mais confiante e a sua auto-estima irá crescer. Depois disso, só o futuro o dirá.

      Se fizer as coisas sempre da mesma forma, você irá obter sempre os mesmos resultados, logo, se quer que algo mude na sua vida, um dia você terá que agir de modo diferente...

      Eliminar
    8. não duvido! mas ele já cá vem dizer que não...

      Eliminar
    9. Anónimo de 23 de julho de 2018 às 12:51, procure ajuda! Essas atitudes não são de todo normais e ninguém merece isso... Se não tem amigos nem família que a possa apoiar, contactar a APAV não me parece exagerado pois, para mim, a sua situação é de uma extrema violência psicológica!
      Muita força para si e para o autor do segredo :)

      Eliminar
    10. "sem ter que entrar em confronto com os seus pais"...
      "Se eles forem tão controladores como você diz que são"...
      A sério, Francisco?! E não, não pertenço ao seu «clube de 'fãs'».
      Realmente acha que os "pais" dela vão lá com paninhos quentes?... Não lhe parece que ela já tentou tudo isso que referiu ou algo do género e não surtiu efeito?
      Sim, também não posso afirmar que isso aconteceu pois ela não o referiu, estou a mandar bitaites.
      Mas tenho para mim a certeza quase absoluta que uns "pais" que Não deixam os filhos Viver, não vão lá com pequenas mudanças feitas de mansinho.
      Parece que ela tem de mostrar aos pais que é Gente, mas sem levantar grandes ondas, não vão os "pais" assustar-se e perceber que ela É Humana e não um robot.
      Não quero desvalorizar as dicas que deu, mas, come on!...
      Concordo com a "mysupersweettwenty", eles exercem violência psicológica sobre a filha! Isso nunca dá bom resultado. Nunca. Acho que não é preciso um desenho.

      Eliminar
    11. Os meus pais são iguais. Felizmente, tive de ir viver para outra cidade quando fui para a faculdade. Ia sempre a casa passar o fim-de-semana, mas, nos restantes dias, fazia o que queria e pronto, por muito que eles tentassem controlar-me. Omiti muita coisa que não seria necessário omitir se tivesse uns pais normais... isso entristece-me. Sinto que eles não têm real noção de quem eu sou, dos meus gostos, dos meus hobbies (pertenci a um coro e a um grupo de teatro e eles nunca chegaram a saber...). É triste.

      Eliminar
    12. Anónimo(11:47), sim...a sério. Com a mesma seriedade aplicada em tudo aquilo que digo ou faço, aliás. Fico muito satisfeito por saber que você não pertence ao meu clube de "fãs", ou melhor dizer, que tenha deixado de pertencer, porque basta alguém comentar de forma objectiva, despretensiosa e educada, sem ter a intenção de fazer circo, para que essa pessoa mereça imediatamente ser tratada com respeito.

      Respondendo agora às suas perguntas. Não sei se a situação criada entre os pais da autora deste comentário e esta última poderá ser resolvida através de "paninhos quentes", mas sei que esta deve ser sempre a atitude mais correcta a tomar antes de pensar em tomar qualquer outra. Pense bem, são os pais dela percebe? Não são os colegas da escola, o empregado da mercearia ou os estranhos com quem nos cruzamos na rua. Vamos lá sentir um pouco mais de respeito e consideração por quem teve e tem a tarefa de sustentar-nos e educar-nos, pode ser? Sei que é muito mais fácil dizer "Maltrata, espanca ou mata os teus pais, que eles perdoam tudo", mas passando o efeito da "hora da fúria"...muitas vezes o nosso lamento pode não ser suficiente para limpar toda a porcaria que geramos e deixamos no chão e reparar todos os danos que fizemos no seio familiar. Se me parece que ela já tenha tentado algo do género? Acredito sinceramente que não, porque se o tivesse feito algumas mudanças teriam sido operadas e ela não trataria este seu desabafo como se fosse um caso ainda por resolver. Se você alimenta a "certeza quase absoluta" que os pais demasiado opressivos e controladores não mudam através de atitudes mais passivas, pergunto-lhe se foi através da agressividade e violência ou se foi através da resistência passiva desenvolvida por Mahatma Ghandi que levou à independência da Índia?

      Sim, ela tem que mostrar aos pais dela que é gente, mas para isso ela tem que revelar-se uma pessoa serena e responsável. Não é seguramente a desobedecer como uma idiota ou a protestar de forma violenta e agressiva que nem uma maluca que vai fazer com que os pais possam confiar mais facilmente nela. Porque é mesmo disso que se trata, percebe? De confiança entre as duas partes e mostrar aos seus progenitores que está muito longe de ser a criança que eles podem julgar que ela ainda é, mas sim uma adulta com maturidade e responsável o suficiente para poder conduzir doravante o rumo da sua vida.

      Pode concordar com a "mysupersweettwenty", e achar ser preferível ligar para a APAV para pedir a prisão dos pais e essa treta toda (brinco), mas nunca não se esqueça de duas coisas:

      1º - Apesar de algumas pessoas gostarem de achar o contrário, sobretudo quando não se trata da vida nem dos pais delas, nada do que foi feito representa qualquer crime aos olhos da lei, logo, a APAV só ia fazer figura de idiota.

      2º - A humilhação dos pais terem que ser chamados para responder a perguntas de foro familiar e terem que responder por acusações de maus tratos à filha poderia ferir irremediavelmente a relação de proximidade e afectividade mantida com esta última. Sou-lhe franco, posso gostar muito dos meus filhos...mas eu jamais lhes perdoaria uma afronta/humilhação desse tipo, e um dia, quando fosse chegada a hora de fazer uma distribuição da minha herança, ia fazer questão de lembrar-lhe disso.

      Como vê, as coisas não são assim tão preto no branco e é muito fácil opinar e dar conselhos destrutivos quando se trata da vida dos outros, mas é preciso avaliar bem as consequências dos nossos actos e mostrar que sabemos ser pessoas conscientes, respeitadoras e bem intencionadas, antes de tomar qualquer atitude que possa condicionar irremediavelmente todo o resto da nossa vida. É muito fácil destruirmos uma casa, mas muito mais difícil...é construí-la ou reconstruí-la...

      Eliminar
  5. Não tirei o curso que queria porque ouvi o meu pai, que teve medo do que a filhinha pudesse ter de enfrentar se seguisse psicologia criminal e fosse para a PJ. Tenho a certeza de que teria sido uma investigadora brilhante. Assim sou só uma marketeer frustrada. É a única coisa de que me arrependo na vida. E tenciono não cortar as pernas aos meus filhos. Uma coisa é mostrar pros e contras. Outra é castrar escolhas. Pensa por ti. Vive por ti. Eles são teus pais mas não são teus donos.

    ResponderEliminar
  6. Amigos existem duas coisas, se são maiores e não vivem às custas dos vossos pais. É hora de tomar decisões, começar a organizar a vida para sair de casa.
    Se dependem deles tem de "levar" com eles até conseguirem a vossa autonomia.
    É a vida e nem tudo pode ser um mar rosas.

    ResponderEliminar
  7. Há por aqui comentadores que se acham muito inteligentes mas não passam de mentes pequeninas que ainda vivem na idade da pedra

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Custa a ouvir verdades, pois é. Quem tem o dinheiro tem o poder.

      Eliminar
    2. O poder de quê? De f**** a vida aos filhos, porque também os seus paizinhos, no tempo da maria-caxuxa, lhes lixaram os planos?! Certo...
      Tirania revela saúde mental, e, por conseguinte, reforça e estimula a saúde mental dos demais. Yah! E é isto o amor!

      Eliminar
    3. Anónimo das 16:57 não tenha filhos pf

      Eliminar
    4. Isto já é muita conversa.
      Os filhos também tem de dar amor não é só receber. Se calhar se o fizerem ganham mais com isso.

      Eliminar
    5. Dar amor?
      Os pais têm filhos porque querem. Têm obrigação de dar tudo o que é essencial aos filhos : casa, educação e saúde.
      Afectar a saúde mental de um filho também é crime! Estas pessoas não são pais, não querem ter filhos. Querem bonecos para maltratar.

      Eliminar
    6. Se os pais os educarem bem, sim, darão.

      Eliminar
    7. (Anon 21:52), parece ser uma pessoas que deve estar a passar por algo do género.
      Claro que os pais têm de dar aos filhos tudo o que disse e muito mais.

      Mas se de parte a parte não existe bom clima, alguém tem de ceder.

      Pode ter a certeza que não serão os pais, que já conhecem a vida.

      Os filhos não são esperto porque não os sabem cativar, dando-lhes a volta com amor.

      Eliminar
    8. Não percebi esta: "não serão os pais, que já conhecem a vida".
      O já conhecer a vida significa que já estão formatados, é isso? "Burro velho não aprende línguas", foi isso que quis dizer?

      Eliminar
    9. Eu não estou a passar por isso. Já passei e fugi de casa aos 17 anos para nunca mais voltar.
      Os meus pais foram péssimas pessoas e o exemplo deles serve apenas para o que não fazer.

      Na APAV disseram que me apoiaram a levá-los à justiça mas como são meus progenitores não o fiz. Mas quero-os bem longe da minha vida.

      Hoje sou mãe e levo as minhas responsabilidades como mãe muito a sério.
      Não se brinca com a vida de ninguém, muito menos com a vida de um filho.

      Eliminar
  8. Não deixes que te façam isso, se não, nunca mais ser feliz!!!

    ResponderEliminar