sexta-feira, 11 de janeiro de 2019

Segredo.11.10


26 comentários:

  1. Estas histórias intrigam-me sempre... só no dia é que notou?

    ResponderEliminar
  2. Penso o mesmo que o anónimo em cima: só no dia do casamento é que sentiu que não iria haver final feliz? Eu compreendo que seja muito chato cancelar os preparativos de um casamento mas geralmente este tipo de coisa não se sente a dias do casamento. São geralmente meses, situações que se vai acumulando, pelo que se calhar dava para pôr um travão mais cedo. A não ser que seja um daqueles noivados que duram 2 anos por exemplo. Ou então um daqueles pedidos de casamento pouco tempo depois do início da relação em que o casal passa mais meses noivo do que namorados e por isso é durante o noivado que se vão conhecendo as qualidades e os defeitos um do outro.

    ResponderEliminar
  3. Não podia anular o casamento apenas devido ao facto de alimentar imensas reservas e não se sentir confiante nem feliz com tudo aquilo que estava preste a acontecer?
    Tem razão, que raio de ideia mais parva...

    ResponderEliminar
  4. e foi bonita a boda, ao menos?

    ResponderEliminar
  5. Eu não me cheguei a casar, estive noiva, porque achava que não ia ter um final feliz. Mas não foi no dia, foram muitos meses antes.

    ResponderEliminar
  6. As pessoas não têm noção do dinheiro que se perde em fazer desmarcações e as indemnizações de contractos feitos.
    Percebo que na dúvida se será só uma impressão ou a pressão do dia do casamento se adie... E depois de todos convidados, por vezes pessoas a vir de longe e tudo com tudo marcado, não é fácil.

    Eu e o meu marido brincávamos a dizer que se não desse certo fazíamos uma festa de divórcio em conjunto só para não desperdiçar tanto dinheiro...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E esquecem-se que actualmente as marcações para casamentos aos fins de semana têm que ser feitos com 2 anos de antecedência. Raramente se conseguem vagas para o ano seguinte, para o próprio então é praticamente impossível.

      Eliminar
    2. Depende do sítio. Eu preparei o meu casamento com 5 meses de antecendencia e ainda encontrei várias quintas à escolha. E casei no Mosteiro de Alcobaça, não foi propriamente numa capelinha perdida no meio do nada. Talvez por isso este segredo só me faça sentido se de facto se tratarem de noivados muito longos (haja paciência para de estar noivo durante mais de 1 ano :P).

      Eliminar
    3. Eu não defendo desistir de tudo no dia do casamento por causa de uma impressão. Mas se estiveram noivos durante 2 anos, se calhar houve tempo para pensar bem e dar importância a estas sensações a tempo de cancelar muita coisa sem grandes custos. Além de que depois vai de cada um: eu preferia perder dinheiro a fazer um casamento, obrigar os outros a deslocarem-se, comprarem roupas e oferecerem prendas para logo a seguir me divorciar porque na altura do casamento já sabia que aquilo não ia durar.

      Eliminar
    4. Estou de acordo!
      Casei e se anulasse perdia por volta de 50% de todo o valor que avancei!
      Por isso os que falam, deviam calar-se, ninguém toma uma decisão dessas assim de ânimo leve, e muito menos por apenas uma impressão, sobretudo que quem casou sabe que estamos muito stressadas antes, perguntamo-nos muita coisa, etc e é normal!

      Eu casei duas vezes, a primeira vez fui muito feliz no dia do casamento e o casamento foi podre e divorciei!
      No segundo, tinha muitas reservas, stress, duvidas, não fui feliz no dia do casamento em si por causa de muita coisa, mas o casamento esta' a ser uma felicidade enorme e somos muito felizes.
      Por isso, bla bla bla bla......

      Eliminar
    5. Casou num mosteiro ao fim de semana e tinha vaga ?? Alguém que desistiu entretanto, não???
      É que aqui na zona nem andando 2 horas para casar numa capela duma aldeia perdida se consegue vagas. E qd há nas igrejas pequenas não há nas quintas de casamentos.

      Eliminar
    6. Eu estou casada há 8 anos, vivemos juntos há 10 anos e nos dias antes do casamento pensei seriamente em terminar tudo.
      Parecia que o facto de ir casar iria mudar a nossa maneira de ser um para o outro e a nossa relação. Tive muitas reservas mesmo... Passado o stress do casamento, das contas, de pagar a todos e de fazer as vontades a toda a família voltamos a viver e a ser como sempre fomos.
      Preparar o casamento quase deu cabo da nossa relação até porque houve um sentimento de propriedade que a nossa família ganhou sobre nós que não soubemos manter longe de nós.

      Qd tivemos filhos já percebemos o que "a casa gasta" e mantivemos as pessoas relativamente longe das nossas decisões e não demos abertura para intromissões. Zero problemas!!

      Eliminar
    7. Anónimo das 11h18

      Não, ninguém desistiu. :) Simplesmente havia vaga. Claro que não casei em Julho ou Agosto, em plena época alta. Casei em Maio, o que deve ter ajudado. E visitei 4 quintas com disponibilidade para essa data, mas ainda havia outras disponíveis.
      No fundo, o meu comentário servia apenas para explicar que, embora acredite e saiba que há locais e alturas do ano em que é difícil encontrar igreja/quinta com data disponível para o ano seguinte, não é sempre assim e que dizer que marcações de casamento têm de ser feitas com 2 anos de antecedência é uma generalização errada e pode levar outras pessoas a terem esta ideia como certa.

      Eliminar
  7. Hmm, posso estar erradas mas... Não poderá essa tua situação ter-te feito agir de maneiras (que de outra forma não terias) que pudessem ajudar também ao fim da relação?
    Não estou a dizer que acabou por tua culpa :) mas digo isto porque às xs quando achamos que algo é de determinada maneira, agimos em conformidade, talvez para nós protegermos a nostalgia mesmos.

    Se estás bem agora é o que importa, por isso é irrelevante 😃

    ResponderEliminar
  8. "haja paciência para de estar noivo durante mais de 1 ano"
    você deve ter sido daquelas que namorou pouco mais de 1 ano e casou logo. Que desespero!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é o tempo que se está junto antes de casar que dita se o casamento é por amor ou por desespero. As pessoas podem namorar anos e anos e nunca se sentirem com vontade de casar com aquela pessoa, ou podem namorar meia duzia de meses e achar que é aquela a pessoa. O tempo não dita nada.

      Eu estou com o meu namorado há mais de 10 anos e sempre disse que queria um noivado curto. Acho que um ano é razoável, mais que isso parece-me andar devagar demais para o meu gosto. Preferencialmente, queremos estar noivos menos de um ano porque achamos que é mais do que suficiente para preparar tudo. Não é desespero, é saber o que queremos e não acharmos necessário arrastar a coisa ad eternum.

      Eliminar
    2. Eu percebo que não queira estar tanto tempo noiva. A minha melhor amiga vai casar este ano e queria casar no ano passado na época de Verão mas teve que adiar o casamento 1 ano para conseguir vaga e só conseguiu porque houve uma desistência!

      Eliminar
    3. se já estão juntos HÁ DEZ ANOS e ainda não casaram, percebo a sua necessidade de noivado curto... não vá ele fugir!
      o tempo não dita nada? a idade dita muito. se já passam dos 30, já não têm muito tempo a perder. portanto, sim, o tempo dita muito.

      Eliminar
    4. Estamos juntos HÁ DEZ ANOS e ainda não casamos porque começamos a namorar quando éramos uns miúdos. Somos jovens ainda, bem longe dos 30. Temos tempo. Queremos um noivado curto porque é assim que faz sentido para nós. Se nenhum de nós fugiu nestes dez anos, não temos medo que aconteça no noivado. Não seja mázinha só porque as pessoas têm opiniões diferentes da sua ou vivem vidas diferentes daquilo que a anónima pensa ser o correto.

      O tempo do relacionamento não dita o amor ou a vontade de casar. Passados dos 30 não se tem tempo a perder porquê? A vida acaba aos 40? Começamos a morrer para a vida aos 30? Sabe lá quais os planos de vida das pessoas, para achar que aos 30 já não se tem tempo a perder...

      Eliminar
    5. Fui eu que escrevi a frase citada pelo anónimo. :) E estava errado. Namorei 9 anos antes de casar. A minha impaciência para noivados grandes é porque para mim não fazem sentido. Decide-se casar, começa-se a planear e casa-se. Conheço quem esteja a ter um noivado de 2 anos e sente o tempo a arrastar-se, parece que nunca mais chega o dia. Num mês tratam da igreja, 3 meses depois do fotógrafo, meses depois vê-se o vestido...e com tudo isto, o entusiasmo pela preparação da festa sofre altos e baixos. Para mim não dava. Da mesma forma que nunca quis ser uma “eterna noiva” (daquelas pedidas em casamento e que depois nunca mais marcam data, ficando noivas anos e anos e anos...).
      No meu caso, o noivado curto em nada tem a ver com receios que o noivo fuja. Se em 9 anos de relação não o fez, não era quando decidiu pedir-me em casamento que o faria.

      Eliminar
  9. Olha que desespero!!!
    Estive noiva onze meses e estamos casados e felizes já fez 51 anos bem passados,não,não estávamos desesperados,estava-mos muito amorosos,somos compatíveis,os mesmos gostos,as mesmas ideias,e quando há qualquer coisa que não cai bem não hesitamos a perguntar o que é que vai mal,cartas na mesa,pedimos desculpa(ele ou eu)e ficamos bem,numa relação nunca deixar de falar,ao contrario,desculpa lá não havia de ter dito ou pedir desculpa do tom de vós,sei lá,um mal entendido.

    ResponderEliminar
  10. começaram o namorico com 10 anos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu vou este ano a um casamento cujo namoro iniciou aos 13 anos. O namoro dura há quase 15 anos...

      Eliminar
    2. Não sei para quem é essa pergunta mas eu namorei pela primeira vez com o meu marido quando tinha 11 anos. Nessa altura, não durou muito tempo mas depois encontrámo-nos novamente quando eu tinha 20, começámos a namorar e casei aos 30. E conheço dois casais que começaram a namorar com 16 anos e ainda estão juntos, agora já com 30. Não é um fenómeno assim tão estranho.

      Eliminar
  11. Anónimo do 15-01-20h42
    Foi o meu primeiro e único amor,gostamos um do outro muito novinhos,adolescentes e nunca mais se largamos,amor de infância.

    ResponderEliminar