sexta-feira, 24 de maio de 2019

Segredo.24.17


41 comentários:

  1. Tive uma discussão com um amigo acerca disso. Ele dizia que as mulheres hoje em dia são umas interesseiras e só vão a busca de dinheiro. Respondi lhe que se optar por alguém com objetivos concretos na vida com estudos carreira e com uma vida estável estaria a ser interesseira que sim tbm me enquadrava nesse tipo de mulher. Namorar com um loser pode ser interessante no início mas depois desgasta. Eu pessoalmente não conseguiria estar com alguém que não fosse ambicioso e que estivesse sempre à procura de melhorar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Somos duas.
      Também prefiro alguém que se tenha esforçado para tentar ter uma vida melhor.
      Também eu o fiz (ao investir muito na minha formação académica e profissional). Acho que isso não é ser interesseira, é tentar ter igualdade no casal. Objectivos em comum.

      Eliminar
    2. Claro que isso não implica que ponha de parte os sentimentos. Ficar com alguém só por causa dos estudos/profissão também não me parece muito motivador.
      Anónima das 19h59

      Eliminar
    3. O que mais me questiono é a parte do "mesmo que isso implique abdicar do romance".

      Eliminar
    4. eu acho que isso quer dizer que se conhecer alguem que até se sinta atraida, ou seja, que haja algum romance, mas depois essa pessoa nao corresponde às expectativas de dinheiro e carreira entao nao avança com uma relação.

      Não quer com isso dizer q estaria com alguem com dinheiro mas de quem nao gostasse. O que eu interpreto é que tem de ter sempre as duas coisas, portanto numa situação que haja romance mas nao dinheiro entao nao avança com a relação.

      Eu faria o mesmo, nunca me iria interessar por alguem que nao acompanhasse o meu nivel de vida. Quer dizer, as coisas nem sequer tinham por onde começar porque uma pessoa assim nao poderia ir sair comigo e gastar dinheiro

      Eliminar
  2. Acho que ambos podem co-existir. Ou já estás na fase de desespero?

    ResponderEliminar
  3. Para ti e qlq pessoa. Quem não admite é só para ser politicamente correcto ou então são daquelas pessoas que acreditam do amor é uma cabana. No entanto, espero que tb aches tb importante teres esses mesmos requisitos, senão ainda dizem que queres é viver as custas de um honem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não faça isso, colocar todas as pessoas na mesma tabela. Eu nunca escolheria um homem pelo dinheiro, nunca ! até me faz muita confusao ir para a cama com quem nao amo, e só pelo dinheiro ? isso é prostituiçao.
      Dito isto, acho que os valores de honesto , esforçado e trabalhador sao essenciais e um homem para mim tem que ter esses valores. As vezes esses valores traduzem-se num bom trabalho, mas outras vezes não. Há muitos homens e mulheres que sao competentes e trabalham bastante e sao pobres financeiramente na mesma, eu escolheria esse pobre em prol de qualquer um que eu nao amasse mesmo que tivesse uma conta bancaria maior.

      Eliminar
    2. Totalmente de acordo 26 de maio de 2019 às 12:51
      O amor deve ser sempre o alicerce de tudo (a meu ver)

      Eliminar
    3. Anónimo26 de maio de 2019 às 12:51

      Toda a gente quer estabilidade, principalmente financeira. Associar o meu comentário ou o próprio segredo a prostituição...vai lá vai! Quando o segredo fala em abdicar do romance, não quer dizer que abdica do amor.

      Eliminar
  4. Eu quando conheci o meu ex namorado via-o como alguém trabalhador e ambicioso. Eu estava ainda a estudar e a terminar o curso.
    Com o passar dos anos, vi-o a agarrar-se a subsídios de desemprego, a saltitar de emprego em emprego nunca satisfeito ou capaz de manter o emprego.
    Ele tinha mais dinheiro que eu no banco, mas era incapaz de guardar dinheiro ao final do mês, porque gastava em saídas e outras coisas.

    Quando terminei, foi um acumular de coisas, uma delas foi a falta de instabilidade e de noção da realidade. Já estávamos a discutir filhos e eu era a única com trabalho estável. Ele acusou-me de ser demasiado ambiciosa.

    Lamento... Não consigo acreditar na história do amor e uma cabana e quero proporcionar aos meus filhos ainda mais do que os meus pais me puderam dar. E recuso-me a ir à luta por dois. Para isso mais vale ir sozinha .

    ResponderEliminar
  5. Por por acaso ter tido 2 maridos com problemas graves de dinheiro...
    Garanto que se divorciar deste último vou pensar igual...
    O romance é bonito, mas problemas de dinheiro matam tudo e ainda por cima perdes o que tu andaste a economizar....

    ResponderEliminar
  6. As mulheres não sao interesseiras! Deixaram foi de ser burras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amei esta resposta!

      Eliminar
    2. Totalmente de acordo!

      Eliminar
    3. Se uma mulher só quer um homem pelo dinheiro e troca-o por outro com uma carteira melhor, entao ela nunca podera reclamar (nem sequer pensar nisso) que é mau um homem no decorrer da vida troca-la por uma mulher só porque mais gira ou mais nova (independentemente de até poder gostar mais da mulher).
      Se o mote do relacionamento sao os valores mais superficiais entao essa deve ser a relaçao dos dois lados.

      Ambos vao pagar um preço que nao é barato. Têm uma casa cara mas uma vida vazia.

      Eliminar
    4. Se uma mulher só quer o homem pelo dinheiro e status, atingiu outro tipo de burrice.

      Eliminar
  7. Eu não acho que as mulheres tenham que aceitar qualquer pessoa mas se ficarem com alguém apenas por dinheiro sem amar, isso para mim é vender-se por dinheiro.
    Não vejo a diferença entre isso e a prostituição.

    Eu não aceitaria ficar com alguém que não se esforça e não quer trabalhar ou crescer na vida. Mas certamente tb não escolheria alguém pelas aparências de riqueza ( carro, casa, etc).
    A maioria das pessoas que aparentam ser ricos têm dividas astronómicas.

    E, acima de tudo, enquanto mulher quero um relacionamento entre iguais e não alguém para me manter.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Anon das 15:29,as pessoas que eu conheço que têm uma vida melhor, tiveram uma super ajuda dos pais não devem dinheiro.

      Eliminar
    2. anonimo das 25 de maio de 2019 às 17:00
      e também há quem trabalhe, tenha uma boa carreira, poupe e por isso tenha "uma vida melhor" sem dividas.

      anonimo 25 de maio de 2019 às 15:29
      acho que percebeu mal o segredo. a mulher nao quer alguem para a sustentar, quer alguem que tenha o mesmo nivel de dinheiro para poder acompanhar o seu nivel de vida. Eu nao quero que o meu namorado me pague jantares, eu quero ir jantar com ele e poder dividir a conta de um jantar de 50€, que se ele ganhasse o salario minimo nao poderia jantar fora assim regularmente. Quero ir de ferias e pagar 2000€ por uma viagem e ele os outros 2000€ da parte dele, e não alguem que me diga q so podemos ir à praia no fim de semana de carro.

      As mulheres nao sao prostitutas, nao se vendem por dinheiro. As mulheres constroem boas carreiras, ganham o seu proprio dinheiro e querem alguem ao lado delas ao mesmo nivel.
      (Sim, eu sei que ainda há muitas mulheres que ganham pouco e menos que os homens, mas penso que nao é dessas que a autora do segredo se refere)

      Eliminar
    3. Eu sou duma família "abastada" e ficariam surpreendidos com o nível de endividamento que alguns atingem.

      Eliminar
    4. Anónimo28 de maio de 2019 às 20:49

      com certeza, tb conheço quem tenha entrado em falencia, perdeu a casa e os carros, e a seguir conseguiu fazer novos emprestimos em nome dos filhos e comprar novamente uma mega casa e bons carros.
      o que eu queria dizer é que nem todos os que têm uma boa vida estão endividados, há quem efectivamente tenha dinheiro. Mas isso tem muito a ver com a personalidade de cada um,há quem ache que desde que o salario chegue para pagar o emprestimo então vão fazendo mais emprestimos até ao limite e há quem nao queira ter emprestimo nenhum. Por ex, tenho um colega que até ganha um pouco mais do que eu: ele comprou um apartamento num condominio de luxo (a credito), depois a mulher queria mudar para uma moradia e ele em vez de vender o apartamento preferiu mantê-lo para um dia para a filha portanto fez um segundo emprestimo para a moradia; depois comprou um carro de 60.000€ a credito, portanto acumula 3 creditos. Por enquanto o salario da para pagar isto, mas se por algum motivo ficar desempregado ta lixado. Eu por outro lado preferi ir poupando o dinheiro e comprar agora a pronto uma moradia mais modesta nao tendo assim qualquer emprestimo, sao ideias.

      Eliminar
  8. O amor não enche a barriga...mas é o único capaz de alimentar a alma e aquecer o coração, logo, se é manifestamente impossível viver só de amor, também não o é menos viver sem ele. Viver sem dinheiro ou sem amor, é como viver numa cadeira de rodas. Podemos nos mover mas nunca nos sentimos verdadeiramente livres já que existem algumas condicionantes e estamos sempre dependentes de alguma coisa. Acho bem que procure alguém que partilhe os seus objectivos e uma vida financeiramente estável, mas sem o romance perde-se decisivamente o melhor de uma relação. É durante o romance que serão criadas as bases que, seguramente, irão segurar a dita relação nas horas de maior desgaste emocional, por isso, seria muito insensato colocar o dinheiro à frente de tudo o resto ou como único baluarte de uma relação. Se uma relação for assente no dinheiro, isso significa apenas que tudo dentro de uma família é facilmente descartável e pode ser vendido desde que o seu preço seja pago...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Deve ser um equilíbrio entre os dois. Amor, Romance, e vontade mútua de ter uma boa vida financeira sem ninguém depender de ninguém.

      Eliminar
  9. Depois ele fica desempregado por motivos de força maior e voce termida com ele e acha normal.

    O karma vai apanha-la mais cedo ou mais tarde, vai ser tratada da mesma maneira como esta a tratar os homens, como simples coisas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se ela própria tiver essas condições (se se esforçou para tal) não é de estranhar que queira o mesmo num parceiro. A parte mais triste é trocar possíveis sentimentos por causa disso. Aí já não sei se será tão produtivo assim.
      Por exemplo, como já referi, quero uma relação com alguém que se tenha esforçado também para ter uma vida melhor. No entanto, não me passaria pela cabeça começar algo sem gostar da pessoa. Acho que se pode ter um pouco dos dois lados.

      Eliminar
  10. Sou das que acha que o amor está a cima de tudo o resto. O amor é na base, é a estrutura, o alicerce. Sem amor não lhe vale de nada ter uma vida boa ou uma vida boa. Sem amor nada chega, nada é suficiente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. mas com amor e sem dinheiro também é dificil..... se chegar ao ponto que chega ao final do mes sem saber como pagar a renda de casa, ou aquelas pessoas que nem conseguem dar um jantar decente aos filhos, ou que nem sequer têm um 2º filho pois mal conseguem sustentar o primeiro...venha la falar de amor a uma pessoa dessas

      é preciso ambos: amor e dinheiro. Nem estar numa relação por dinheiro sem amor, mas também não estar numa relação com amor mas sem qualquer futuro financeiro estavel

      Eliminar
  11. Não preciso de ninguém que me sustente, consigo faze-lo sozinha. Mas preciso de alguém que me ame.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo. Aqui penso igual!

      Eliminar
    2. e está disposta a sustentar o outro? por ex, se querem ir de ferias, jantar fora, ao cinema, passear, se ele nao tem dinheiro o que faz? paga o total pelos 2? e isso a longo prazo é sustentavel?

      Eliminar
    3. Estou casada há 20 anos, já tivemos tempos em que estivemos os dois estáveis, outras em que estivemos os dois mal e outras em que um esteve mal e outro bem e vice versa (somos ambos licenciados e temos casa própria paga, para o caso de se pensar que andamos aos caídos). Sempre juntos. Quando estou eu mal de finanças, é ele que dá apoio financeiro e eu dou o meu amor e apoio moral...porque nem tudo se mede em cursos, viagens, dinheiro, bens...Não é o dele nem o meu, é o nosso porque ambos contribuímos á nossa maneira. Seria muito pretensioso da minha parte achar que estaria sempre eu na mó de cima.Pretensioso e ingénuo.

      Eliminar
    4. se têm licenciatura e bons empregos, ainda que em algum momento um possa ficar desempregado ou passar por uma fase menos boa, eu diria que ambos estao ao mesmo nivel. não se trata de estar na mó de cima ou de baixo mas sim de ter as mesmas perspectivas de vida e esforços. quando eu comecei a namorar ainda era estudante e o namorado mais velho, já estava a trabalhar por isso ele é que pagava sozinho os jantares fora e as ferias. cerca de 3 anos depois comecei a trabalhar e aí já podiamos dividir, mas durante aqueles 3 anos ele sabia que eu estava a acabar um curso e que tinha boas perspectivas de trabalho e que me ia esforçar para isso. Completamente diferente é imaginemos estar com alguem daqueles que nunca têm trabalho certo, que vao fazendo uns biscates aqui e ali, sempre na base do salario minimo. Eu tenho um amigo que fez o curso de Design Paisagistico, sem jeito nenhum para aquilo, era so porque ficava bem ter uma licenciatura, nunca teve ânimo nenhum na vida para procurar nada, o pai faz uns serviços de transportes e ele trabalha la como camionista, vive com os pais aos 40 anos porque o salario não chega para arrendar um apartamento sozinho e não tem qualquer perspectiva de melhorar a vida; logico que para mim namorar/casar com alguem assim estaria fora de questao.

      Eliminar
    5. Anon das 10:29 a minha mulher é mais nova do que eu 5 anos. Tirou o seu curso superior e nunca aceitaria que lhe pagasse as férias.Foi trabalhar em part time para gozar uns dias no Verão. E o tal seu amigo, em vez de o julgar, ja pensou que pode estar com uma depressão ou sentir-se perdido. Ajude-o ao invés de o julgar

      Eliminar
    6. Exactamente!
      Nem todos têm a sorte de sair dos cursos com trabalho garantido e mesmo em áreas de boa empregabilidade não são de acesso fácil a todos. Mesmo com boas médias. Não é por terem mais dificuldades em estabilizar a vida que se tornam preguiçosos e têm falta de empenho. Nem todos têm as coisas facilmente.

      Eliminar
    7. "Nem todos têm as coisas facilmente. "

      claro q sim. mas por ex, enquanto q outras pessoas procuraram emprego no país todo, se calhar tiverem de ir p Lisboa p inicio de carreira para começar, ele so queria encontrar algo na nossa cidadezinha do interior. enquanto outros se dispuseram a ir para estagios nao remunerados em grandes empresas so para ganhar experiencia, ele preferiu ir conduzir um dos camioes do pai para ganhar dinheiro e continuar com os pais. enquanto outros mandavam curriculos para todo o lado, e iam a congressos, feiras de emprego, sei la, ele ficava à espera que o emprego lhe fosse oferecido e aparecesse à porta. por outro lado, nunca investiu tempo no negocio do pai, nunca aprendeu com ele, e agora que o pai faleceu de um AVC repentino ficou com o negocio nas maos, nao faz ideia de como organizar aquilo, um funcionário já saiu e eles estão a perder dinheiro. O pai estava a um ano de se reformar, ja lhe tinha dito q lhe queria passar o negocio e ele ia sempre dizendo que "depois haviam de ver disso"....resultado, infelizmente o pai morreu antes e agor estão perdidos.

      E sim, estou la para ele, fui eu q o acompanhei o tempo todo no velorio e no funeral, ajudei-o no que pude, tenho falado muito com ele. E mantenho o que disse: como amigo sim, mas nunca teria um futuro como namorado/marido com alguem assim.

      "Tirou o seu curso superior e nunca aceitaria que lhe pagasse as férias.Foi trabalhar em part time para gozar uns dias no Verão."
      são extremos. o anonimo de "28 de maio de 2019 às 16:46" diz q às vezes sustenta ela o marido, às vezes ao contrario consoante a vida. E eu so expliquei que também sinto que o devemos fazer em certas situações mas que não vejo uma vida em que seja sempre um a sustentar o outro. No seu caso, pelo que percebi é mais de extremos, ou seja, mesmo ela não tendo emprego sentiu-se na necessidade de ir tirar um part time para o poder acompanhar nas ferias. Isso para mim não funcionava pelo simples facto que eu passava o tempo todo a estudar, sim mesmo nos fins de semana, para tirar boas notas, e so descansava nas ferias grandes e era aí que ia ter com o namorado à Suiça, ou seja, o tempo de ferias era para ir ter com ele e nao para ir trabalhar. Mas cada um com as suas ideias, desde que resulte para os dois..... acho que é um bocadinho como a cena das contas conjuntas vs separadas. Para mim estando os dois a trabalhar cada um tem a sua conta e os seus gastos, claro q se um ficar desempregado o outro tem q ajudar; mas há casais q independentemente da situação têm o dinheiro todo junto e gastam à vontade e isso para mim era impensavel

      Eliminar
  12. Não preciso de ninguém que me sustente, nem preciso quem me ame. isso eu tenho e faço para mim e por mim. Preciso de alguém que me acrescente, que me melhore, que me dê algo mais. Seja a nível de romance, seja a nível de jantares e saídas e férias. Uma coisa sem a outra, não obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Numa relação preciso de alguém que me ame. Se não me ama, só eu gostar de mim nao chega no contexto de uma relação, não amo pelos dois.

      Eliminar
    2. Melhor e mais sensato comentário.
      Parece uma guerra entre amor e dinheiro, quando não se trata disso...

      Eliminar