terça-feira, 18 de junho de 2019

Segredo.18.10


20 comentários:

  1. é tao bom ser pai á distancia... tem o filho e ter 0% de trabalho... puro egoismo da parte dele. nao caias nessa. vais-te arrepender tanto se o fizeres....

    ResponderEliminar
  2. Tens toda a razão em não querer estar numa situação dessas. Ser Mãe já é difícil, ser Mãe e Pai, não é impossível, mas é desgastante.

    Nuno

    ResponderEliminar
  3. Entendo que não queira engravidar...mas não entendo o que a leva a considerar de que, pelo facto de ser homem, ele não compreende o que é ter de lidar com tudo sozinho. Pareceu-me bastante femista esse seu comentário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que há homens que são verdadeiramente pais, e que dividem as responsabilidades domésticas com as mulheres. Mas em Portugal (e isso está documentado num estudo com dois ou três anos baseado num grande inquérito à população, se quiser posso indicar-lhe), ainda são as mulheres que, maioritariamente, dedicam mais horas do seu dia a estas coisas. Muitos homens (e mulheres também) ainda acham que cuidar de um bebé é trabalho da mãe.

      Eliminar
    2. Bem, talvez se esteja a referir ao facto que de os homens não engravidam, não passam por mudanças e continuan essencialmente iguais.
      Penso que seja isso, principalmente por ela dizer que ele não compreende o porquê dela não querer engravidar com ele longe...

      Eliminar
    3. Bom, e porque se ele está noutro país e é ela que vai ficar a tomar conta do filho, então é ela que vai ter de lidar com tudo sozinha....Ele até pode ser um excelente pai mas à distância não faz milagres...

      Eliminar
    4. Porque nunca nenhum homem engravidou, pariu e criou o filho sozinho

      Eliminar
    5. Anónimo(14:42), confio plenamente naquilo que me conta e sei que, realmente, o homem "luso" na sua maioria continua a gostar de fugir às responsabilidades domésticas na sua generalidade. Nesse aspecto, acho que existe ainda um longo caminho a percorrer até que a sociedade consiga potenciar uma repartição mais equilibrada dessas ditas responsabilidades. O que eu não entendo é que se tome como verdade absoluta que um homem é manifestamente incapaz de compreender a dimensão das tarefas que a maternidade e o nascimento de um filho obriga, só pelo facto de ser homem...

      Eliminar
    6. Anónimo(14:49, 10:55 e Rita), engravidar e parir também acredito que não - embora, também, nesse aspecto, o mundo já esteve bem mais longe disso -, mas ainda assim conheço muitos casos de homens que por uma fatalidade do destino ou por outras razões diversas viram-se forçados a cuidar de filhos totalmente sozinhos desde o momento da sua nascença e nem por isso foram menos cuidadosos com eles do que seria a generalidade das mulheres. Reconheço que, na sua maioria, os homens sempre gostaram muito de se "encostar" ou fugir a determinadas tarefas e preferem canalizar as suas energias para outro género de trabalhos, mas isso não quer dizer que eles não sejam capazes de compreender ou ser sensíveis à importância do trabalho maioritariamente desenvolvido pelas mulheres como resultado da maternidade nem que eles não sejam capazes de assumir o barco sozinhos...se assim forem obrigados. O facto de ser homem não me torna automaticamente num bronco idiota, irresponsável e insensível. Penso eu...

      Eliminar
    7. Concordo com o Francisco no sentido que não é por ser homem que o torna idiota!
      No entanto, veja, o Francisco disse "se assim forem obrigados".
      Nem falo da casa (que também conta) mas um filho é criado pelos dois, eles sabem a importancia e escolhem encostar-se...

      É de um egoísmo atroz, quantas mulheres tambem não sabem cuidar de crianças , e ainda assim, aprenderam. Fico a pensar que os homens não querem assim tanto ter filhos. E que no geral de escondem atrás do "elas têm mais jeito" quando na verdade é só falta de tentar.

      Eliminar
  4. Porque raio haveria ele de te querer engravidar estando ele fora do país?! Que raio! É para não terem de "esperar"?
    Esquece-se é que tu vais precisar de ajuda e apoio, ele devia querer estar ai para ti nesse momento. A não ser que se queira baldar aos momentos mais complicados, e nessa situação, é caso para questionar se será boa ideia essa gravidez, pelo menos com ele!
    Não faz o mínimo sentido.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A autora pode não estar a contar tudo, ela pode estar no limite da idade, pode não estar no limite mas podem ter tido antes problemas em tentar engravidar, etc

      Eliminar
  5. Não vá nessa conversa, ter um filho com o apoio do pai já é complicado nos primeiros tempos, sem o pai por perto é um absurdo de difícil.
    Aliás nem entendo como alguém quer ter um filho nessas condicções, sem poder privar com a criança, sem poder vê-la a crescer! É só para dizer que tem?

    ResponderEliminar
  6. Proponha-lhe "engravidarem", você tem o filho e envia-lho para o estrangeiro para ele cuidar...

    ResponderEliminar
  7. Não ceda. E explique-lhe que enquanto estiverem a viver separados não vai haver filhos para ninguém. Simples

    ResponderEliminar
  8. Que envie a semente pelo correio também.


    Ó santa paciência. A mim não me parece que o problema seja dos homens mas antes desse "homem" em particular.
    Aliás com esse tipo de ideias eu pensava seriamente se era mm com ele que queria ter filhos, esteja longe ou perto. Porque não será por estarem debaixo do mesmo tecto que ele vai perceber que ser pai é muito mais que ser dador de esperma. É que para obter a semente não precisa sequer de esperar por ele. Qualquer banco de esperma faz o mesmo. Já para ser pai... Só pelo relato eu tenho a certeza absoluta que não o queria para pai dos meus filhos. Aliás não se admire se desaparecer do mapa depois da criança nascer e ele perceber que não são tudo facilidades.

    Chama-se man-boys. Neste caso diria até man-baby.
    Até uma criança com 10 anos perceberia a estupidez dessa sugestão. Medo.

    ResponderEliminar
  9. Nem tem lógica nenhuma. Ele vai estar a perder fases importantes da gravidez e do crescimento da criança.

    ResponderEliminar
  10. Hum... Pode não ter a ver só com a falta de vontade de ter o "trabalho" de criar um bebé, ainda que incompreensível já que seria o pai. Pode muito bem ser uma maneira de se sentir seguro na relação, achando que um filho é sinónimo de manter uma mulher e evitar o risco da ruptura ou da traição. Uma mulher focada e sozinha nas responsabilidades diárias de criar um filho, nos primeiros meses, quase nem tem tempo de olhar para o espelho e pensar uau, que bela que sou, quanto mais pensar em terminar uma relação com o pai da criança, mesmo que a distância seja quase inaceitável. Belo truque!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não colocaria essa hipótese totalmente de parte. Mas acho mais provável não querer o trabalho.

      A gente acha incompreensível, mas a verdade é que se vê muito disso por aí.

      Eliminar
  11. Entendo bem o seu posto de vista.

    ResponderEliminar