quinta-feira, 19 de setembro de 2019

Segredo.19.14


9 comentários:

  1. Por vontade dela ou tua? Se for por vontade tua, certifica-te de que estás mesmo em paz com essa decisão. A minha mãe faleceu o ano passado e eu não falava com ela há 7 anos. Ainda não aprendi a lidar com isso.

    ResponderEliminar
  2. Ás vezes não são eles que se têm de adaptar a nós mas sim nós a eles ;)

    ResponderEliminar
  3. Que tal tentares? Acredito que ela estará também muito angustiada com a situação. Não caias no erro de adiares.
    Eu vejo pela minha família... andou tudo de caras viradas, irmãs com irmãs, tias com sobrinhas, afilhadas com primas... Nascemos nós os filhos delas, sem nos conhecermos uns aos outros, primos que não fizemos memórias juntos. Foi preciso morrer um tio que era querido de todos para nos juntarmos e conhecer-nos e vermos o que perdemos por causa do orgulho das nossas mães e tias.
    Tenta, é tua mãe. Por mais grave que tenha sido a situação, vê-se que te incomoda, que te causa dor.
    É um conselho, vale o que vale, mas tenta!

    ResponderEliminar
  4. Este segredo toca-me porque também já estive nessa situação, por quatro anos. Hoje damo-nos normalmente como mãe e filha. Nunca houve um entendimento naquilo que nos fez deixar de falar, mas às vezes mais do que ter ou dar razão, é resolver as questões. A família é tudo, a base da confiança e da segurança. E o tempo perdido nunca vai voltar atrás. Custa dar o primeiro passo, mas dificilmente não há uma solução para a zanga.

    ResponderEliminar
  5. Eu também.. mas porque ela faleceu há quase dois anos.

    ResponderEliminar
  6. Tenta emendar isso por muito que a situação seja complicada. A minha mãe faleceu em 2017. Nós também tínhamos as nossas discussões, agora arrependo-me de algumas coisas. Ela faz-me tanta falta.

    ResponderEliminar
  7. Eu também, há mais tempo. Mas não sinto falta, nunca senti desde que deixámos de falar.

    ResponderEliminar
  8. E queres voltar a falar?

    ResponderEliminar
  9. Normalmente fica-se à espera que a outra parte dê o passo.
    Mas sou da opinião que não somos obrigado a nada, mas se tem vontade, deve fazê-lo sem estar à espera de nada....

    ResponderEliminar